Risco 'muito baixo' para covid-19 passa a valer em novembro no ES

Geral

Risco 'muito baixo' para covid-19 passa a valer em novembro no ES

Mudanças começam a valer no dia 08 de novembro devido ao avanço da cobertura de vacinação contra o coronavírus no Espírito Santo

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, anunciou nesta quarta-feira (06) novidades no mapa de classificação de risco dos municípios capixabas para a covid-19. 

Como adiantou o Folha Vitória, entre as novas medidas está a introdução da classificação de risco "muito baixo", a fase azul, que atualmente não existe no mapa divulgado pela secretaria de Saúde. 

A mudança já ocorrerá a partir do dia 08 de novembro devido ao avanço da cobertura da vacinação em todo o Espírito Santo.

Foto: Hélio Filho/Secom

Na prática, isso significa que as cidades na fase azul terão maior flexibilização das regras, como é o caso dos eventos, conforme a Coluna Pedro Permuy adiantou, com exclusividade, nesta quarta-feira (06). 

A secretária de Estado do Turismo, Lenise Loureiro, detalhou que o passaporte da vacina, por exemplo, será um dos itens que os grandes shows e eventos poderão exigir dos visitantes no fim do ano.

O secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, já havia adiantado, durante um pronunciamento realizado na terça-feira (05), que a cobertura vacinal será considerada determinante para a classificação de risco de cada município.

Veja os detalhes do pronunciamento de Casagrande

O governador Renato Casagrande começou o pronunciamento afirmando que o Estado precisa de previsibilidade para que a sociedade, principalmente, o setor de eventos possa se aquedar às novas medidas e que, por isso, elas foram anunciadas com um mês de antecedência.

Segundo Casagrande, a nova matriz de risco dependerá da meta de vacinação para cada microrregião do Espírito Santo. A nova matriz também vai manter os indicadores atuais de ocupação de leitos, média móvel de óbitos nos últimos 14 dias e testagem.

Além das classificações de risco "extremo", "alto", "moderado" e "baixo", na nova matriz haverá o risco "muito baixo", identificado na cor azul. A classificação do risco "muito baixo" será feita por microrregiões. 

Para serem classificadas no risco muito baixo, as microrregiões precisam ter: 

- 80% da população adulta com a primeira e segunda dose ou dose única;
- 90% da população de 12 a 17 anos com a primeira doses;
- 90% da população idosa com a terceira dose.

Os municípios também terão que ter pontos de testagem livre para que as pessoas que chegarem ao local possam fazer testes para covid-19, mesmo que não apresentem sintomas. 

De acordo com o governador, as regiões que conseguirem atender aos critérios já existentes e ao requisito da vacinação serão classificadas em risco "muito baixo" permanentemente, retornando ao atual modelo de classificação apenas se houver uma nova crise.

"Após alcançar o risco 'muito baixo', a microrregião não retrocede mais. Hoje o município pode estar no risco 'baixo' e voltar para o 'moderado', do 'moderado' para o 'alto'. Nós acreditamos que, com a grande quantidade de pessoas vacinadas, não precisaremos fazer isso. A não ser que haja alguma crise ou nova fase da doença", explicou.
Foto: Divulgação/ Sesa

Nova matriz traz mudanças para eventos nas cidades em risco 'baixo'

A partir do dia 08 de novembro, nos municípios que estiverem classificados em risco baixo, a ocupação para eventos em locais fechados poderá ser de no máximo 50% da capacidade com limite de 1.200 pessoas. Atualmente, este limite é de 600 pessoas. Todas as pessoas que forem participar dos eventos devem estar vacinadas.

"Se um cerimonial comportar 2.500 pessoas, ele poderá colocar até 1.200 pessoas, 1.250 pessoas não pode porque irá ultrapassar o limite, desde que quem estiver indo ao local tenha sido vacinado", frisou.

Nos eventos em locais abertos, o limite será de 50% da ocupação com pessoas vacinadas.

Microrregiões em risco 'muito baixo' estarão liberadas para fazer eventos

Nas microrregiões em risco "muito baixo", o limite de ocupação dos espaços para a realização de eventos seguirá a definição do Corpo de Bombeiros como limite de ocupação do local.

"Temos quase 10% dos capixabas que poderiam ter sido vacinados e ainda não receberam a vacina. É importante que você se vacine. Nossas atividades são  vinculadas às vacinas", disse.

Casagrande lembrou que todos os alunos da rede estadual retornam, na próxima segunda-feira (11), para as aulas presenciais

Leia também:

>> O que as prefeituras da Grande Vitória dizem sobre o fim do rodízio de alunos nas salas de aula

O governador finalizou o pronunciamento lembrando da importância do uso da máscara para ajudar no controle da pandemia.

Foto: Divulgação/ Sesa