Aumento de internações por covid está ligado a quem não quer se vacinar, aponta Nésio Fernandes

Geral

Aumento de internações por covid está ligado a quem não quer se vacinar, aponta Nésio Fernandes

Secretário de Estado da Saúde, em pronunciamento feito pelos redes sociais,alertou que para os riscos de quem se recusa a vacinar

Marcelo Pereira

Redação Folha Vitória

Em pronunciamento feito pelas redes sociais no início da tarde desta terça-feira (05), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, alertou que o aumento de internações por covid-19 está relacionado ao comportamento de pessoas que se recusam a se vacinar. "Cerca de 42% das solicitações de internações em leitos de UTI e de enfermaria representam pacientes não vacinados. Tivemos 826 solicitações de internações na última quinzena de setembro e, desse total, 42% são de pessoas não vacinadas", declarou.

Foto: Reprodução /Youtube

O secretário fez o anúncio de sua casa pois estava com sintomas gripais. Ele fez teste para covid-19 e deu negativo. "Mas por estar com quadro de mal-estar e tosse intensa, ficarei de home office esta semana", explicou. Confira pontos de destaque do pronunciamento. 

Ele também abordou sobre mudanças no método de classificação de risco dos municípios e apontou que a cobertura vacinal de uma cidade será levada em conta. "Nós teremos amanhã (quarta-feira) uma reunião extraordinária da sala de situação onde iremos atualizar diversas medidas de enfrentamento à pandemia no Estado",. destacou.

Confira outros destaques. 

Aumento de internações hospitalares

Fernandes começou o pronunciamento falando da importância da vacinação e de como a recusa influencia a subida de casos e de internações. "Cerca de 42% das solicitações de internações em leitos de UTI e de enfermaria representam pacientes não vacinados. Tivemos 826 solicitações de internações na última quinzena de setembro e, desse total, 42% são de pessoas não vacinadas". 

Apelo para que as pessoas se vacinem

O secretário chamou a atenção de pessoas que não se vacinaram ainda. "A vacina protege o indivíduo e, ao mesmo tempo, protege a comunidade. Aqueles que se recusam a vacinar possuem uma probabilidade maior de evoluir para um quadro grave ou a um óbito. Precisamos avançar no convencimento de que a população adulta se vacine".

Novas regras para elaboração do Mapa de Risco

"Nós teremos amanhã (quarta-feira) uma reunião extraordinária da sala de situação onde iremos atualizar diversas medidas de enfrentamento à pandemia no Estado. O governador Renato Casagrande fará um pronunciamento em que fará anúncios importantes na reorientação da estratégia e na metodologia da classificação de risco das cidades capixabas na matriz de risco. A cobertura vacinal passará a ser o principal fator determinante para que a população de um município seja reconhecido com risco muito baixo para a covid-19". 

Apelo para que idosos procurem a dose de reforço 

Cerca de 25 mil idosos estão com a dose de reforço em atraso no Espírito Santo. O secretário alertou para perigo de possibilidade de internações e óbitos. "Isso representa um risco individual para ter a infecção por covid-19 e desenvolver uma condição crítica, podendo evoluir a óbito".

Meia dose da AstraZeneca poderá ser utilizada como dose de reforço

O secretário comemorou os resultados do projeto "Viana Vacinada", que imunizou a população do município com duas meias doses. A meia dose poderá ser utilizada como dose de reforço no Estado. "O projeto Viana Vacinada constitui o maior estudo mundial do uso da meia dose de um imunizante na população. Os resultados têm suscitado a possibilidade de que a dose de reforço pode ser realizada com a meia dose da vacina da AstraZeneca".