Velocidade da vacinação contra covid-19 tem caído no ES, diz Sesa

Geral

Velocidade da vacinação contra covid-19 tem caído no ES, diz Sesa

O Espírito Santo registrou, neste domingo (10), mais quatro mortes e 489 casos do novo coronavírus em 24 horas

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, concede, nesta segunda-feira (11), uma entrevista coletiva on-line para atualizar as informações sobre o enfrentamento à Covid-19 no Espírito Santo.

O secretário destacou que o Estado se mantém na fase de reabilitação da pandemia. "Como anunciado e avaliado, caminhamos para viver uma nova fase, onde grandes aglomerações podem alcançar casos de óbitos e internações".

Ele afirmou que a tendência é que haja, a partir de agora, mais um modo de vida e mais uma doença endêmica. "Queremos alcançar a vacinação satisfatória contra a covid-19 para superar o tema como um problema de saúde pública. Temos que vencer todos os movimentos vinculados às teses antivacinas. Se não fosse as vacinas, neste momento, o Espírito Santo estaria vivendo uma qurta onda de casos", afirmou.

Fernandes convocou a toda a população para que convençam os parentes e amigos, que ainda não se vacinaram, para que tomem a vacina para alcançar a meta. "Temos vacinas garantidas para toda a população acima dos 12 anos. Tanto para quem ainda não tomou a D1, quanto para os idosos que vão se vacinar na dose de reforço".

Segundo o secretário, a média diária de vacinação no Espírito Santo está caindo. "Na medida em que levantamos todas as medidas de restrições economicas e sociais, vamos incrementar medidas para que pessoas não vacinadas não possam acessar eventos".

Segundo ele, uma portaria será publicada nesta semana para que os servidores do Estado não possam acessar determinados locais em caso de não vacinação. Nésio também afirmou que solicitou ao Ministério da Saúde para que a vacinação contra a covid-19 passe a fazer parte do calendário anual e obrigatório do Plano Nacional de Imunização.

"Conseguimos alcançar, neste momento, um alto grau de mobilização da sociedade pela vacinação e temos uma adesão satisfatória, mas ainda não conseguimos salvar todas as vidas que precisamos salvar", afirmou

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, destacou que a variante Delta, detectada no Espírito Santo, fez com que o número de internações em julho aumentaram, mas não foi tão significativa como anterior.

Quase 92% da população acima dos 18 anos receberam a 1ª dose ou a dose única. Quase 64% dos adultos, receberam a 2ª dose. Já os adolescentes, mais de 64% já tomaram a primeira dose e 63% dos idosos já tomaram a dose de reforço, segundo Reblin.

O secretário afirmou que cerca de 312 mil pessoas ainda não retornaram para tomar a segunda dose da vacina no Espírito Santo, mas é um número menor do que já foi registrado. Ele ainda destacou que a grande maioria das doses em atraso são na população adulta, entre 18 e 59 anos, sendo que 72% tem menos de 49 anos.

"O passaporte de vacinação vai levar em conta o sistema vacinal completo. A população precisa entender que não existem razões para não tomar a segunda dose. O certificado vai apresentar quantos dias de atraso cada pessoa tem. Uma dose não é possível para garantir a proteção que precisa ser ofertada", ressaltou Nésio Fernandes.

Ele ainda destacou que há condições de alcançar o esquema vacinal completo, para garantir um Natal diferente para os capixabas. Para isso, serão abertos novos pontos de testagem em massa, em Colatina (rodoviária), no CREFES, no Terminal Campo Grande (Cariacica) e um ponto de vacinação na Ufes.

A Secretaria de Saúde alertou que o Estado possui condições de vacinar todos os turistas no Espírito Santo. "Queremos o estado livre do luto e da doença. Queremos, no Espírito Santo, além do passaporte, garantir a oferta para que qualquer pessoa possa ser vacinada no estado.

Para o próximo sábado está prevista a divulgação da portaria com as atividades a serem exigidos o passaporte da vacina, que vai falar da circulação de pessoas e acessos de pessoas com as duas doses. A comprovação pode ser feita por meio do aplicativo do Ministério de Turismo", disse o secretário.

Nésio Fernandes acredita que algumas microrregiões já devem alcançar o risco muito baixo ainda em outubro e que em dezembro todo o estado já deve estar em risco azul.

"É muito pouco provável que até dezembro não tenhamos todo o Espírito Santo em risco muito baixo. Caminhamos para alcançar todos os territórios capixabas ainda em novembro. Em outubro, teremos mobilização de todos os fatores econômicos com a vacinação", afirmou.

Foto: Divulgação/ Sesa

Números da covid-19 no Espírito Santo

O Espírito Santo registrou, neste domingo (10), mais quatro mortes e 489 casos do novo coronavírus em 24 horas. As informações são do Painel Covid-19, mantido e atualizado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Com isso, o estado chegou a 12.664 óbitos pela doença 594.562 casos desde o início da pandemia, em março do ano passado. O painel aponta ainda que 568.673 pessoas conseguiram se recuperar da doença no estado.

Mapa de risco tem cinco cidades em risco moderado

Um novo mapa de risco entrou em vigor a partir desta segunda-feira (11), no Espírito Santo. Nele, as cidades de Alfredo Chaves, Ibatiba, Mantenópolis, Mimoso do Sul e Rio Bananal estão classificadas em risco moderado. Os outros municípios do Estado seguem em risco baixo.

A classificação amarela, do risco moderado, faz com que bares, lanchonetes, restaurantes, lojas de conveniência e distribuidoras de bebidas alcoólicas só possam funcionar de segunda a sábado, até as 22 horas. Aos domingos, o funcionamento é autorizado somente até as 16 horas.

Já nos municípios em risco baixo, não há restrição de horário de funcionamento em nenhuma atividade econômica. Entretanto, ainda é preciso obedecer aos protocolos de segurança, como uso de máscaras, distanciamento e não aglomeração, entre outras medidas.