Nota de crédito já é conhecida por 6 em cada 10 consumidores, revela sondagem

Dino

Geral

Nota de crédito já é conhecida por 6 em cada 10 consumidores, revela sondagem

Levantamento da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) aponta ainda que informação sobre o tema é maior entre pessoas de 24 a 45 anos e nas classes AB e C

Foto: Divulgação/DINO

Segunda edição da sondagem Hábitos sobre Educação Financeira e Conhecimento sobre a Nota de Crédito (score), realizada pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), em setembro, revela que 66% dos consumidores sabem o que é nota de crédito ou score. Em maio, o índice era de 62%. O levantamento aponta também que o entendimento é maior nas faixas etárias de 24 a 45 anos e nas classes AB e C. Dos que sabem o que é nota de crédito, 7 em cada 10 declararam que já realizaram a consulta.   

O conhecimento sobre a própria nota de crédito também aumentou entre os períodos analisados, de 44% para 50%, sendo que 90% dos respondentes afirmaram tomar conhecimento da nota de crédito por iniciativa própria.

Na avaliação de Elias Sfeir, presidente da ANBC, “o aumento do interesse em relação à  nota de crédito sinaliza o aumento do nível de educação financeira e do empoderamento de pessoas e empresas que precisam contratar crédito. Esse aumento de consciência é positivo para quem precisa de crédito e sobretudo para a economia.”

Analisando o grupo que conhece a própria nota de crédito, 8 em cada 10 consideram importante ter esta informação disponível. Para 41% isso significa ser visto no mercado como um bom pagador. 

A segunda edição da sondagem, que foi realizada em setembro e será atualizada trimestralmente, ainda revelou dados animadores sobre a organização da vida financeira. 85% dos entrevistados declararam que buscaram informações sobre como organizar as contas pessoais e da casa e 75% afirmaram fazer algum tipo de controle dos gastos. 

Metodologia: pesquisa quantitativa, realizada por meio de questionário online, no período de 19 de agosto a 3 de setembro. A amostra foi de 537 respondentes e, para a leitura dos dados gerais, é preciso considerar 95% de grau de confiança e margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.