Risco 'muito baixo' será atribuído a microrregiões do ES e não a municípios. Entenda!

Geral

Risco 'muito baixo' será atribuído a microrregiões do ES e não a municípios. Entenda!

A partir do momento em que uma microrregião atingir o risco muito baixo, ela não sairá mais dessa classificação, como ocorre com as demais

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

A partir do dia 8 de novembro, o Espírito Santo terá uma nova classificação de risco para o combate à pandemia da covid-19. Trata-se do risco "muito baixo", que será representado pela cor azul.

A novidade foi apresentada no início da noite desta quarta-feira (06), pelo governador Renato Casagrande, durante um pronunciamento ao vivo pelas redes sociais.

O risco muito baixo, no entanto, diferentemente das demais classificações — risco baixo (verde), moderado (amarelo), alto (vermelho) e extremo (roxo) —, será atribuído às microrregiões e não aos municípios, de forma individual. 

O Espírito Santo possui 10 microrregiões administrativas — Caparaó, Central Sul, Centro-Oeste, Rio Doce, Central Serrana, Litoral Sul, Metropolitana, Nordeste, Noroeste e Sudoeste Serrana.

Foto: Reprodução/ IJSN

Vacinação será principal critério para risco muito baixo

O principal critério para a classificação azul será a cobertura vacinal, por faixa etária. Portanto, para uma microrregião chegar a esse estágio, deverá ter pelo menos 80% da sua população adulta com as duas doses da vacina ou dose única; 90% dos adolescentes de 12 a 17 anos com pelo menos a primeira dose; e 90% da população idosa, acima de 60 anos, e de imunossuprimidos com a dose reforço.

Foto: Blog Direito ao Direito

Outro requisito indispensável para que uma microrregião alcance o risco muito baixo para a covid-19 é que cada município tenha pelo menos um ponto para testagem livre, no qual a pessoa poderá realizar a testagem gratuitamente quando julgar necessário — mesmo se não apresentar sintomas.

Esse ponto de testagem, segundo o governador, pode ser uma unidade de saúde, um pronto-socorro ou algum outro local destinado para esse fim. 

"Os municípios da região podem alcançar as metas de vacinação, mas se não tiverem o ponto livre de testagem, eles não alcançarão o risco muito baixo", frisou Casagrande.

Além disso, os municípios deverão permanecer com a recomendação do uso de máscaras. As novas definições serão publicadas no Diário Oficial do Estado.

Classificação azul será permanente

Outra novidade é que, a partir do momento em que uma microrregião atingir o risco muito baixo, ela não sairá mais dessa classificação. Isso só ocorrerá, segundo o governador, se houver uma nova crise sanitária que force o Estado a alterar as regras do mapa de risco.

Enquanto uma microrregião não chegar nesse patamar, seus municípios continuarão sendo classificados individualmente nos demais riscos (baixo, moderado, alto e extremo), que poderão variar de semana para semana. 

Além disso, ao atingir a classificação azul, as medidas qualificadas aplicadas aos demais riscos serão extintas, não havendo restrições para atividades econômicas, sociais e culturais.

As regras da nova classificação começam a vigorar a partir do dia 8 de novembro. Até lá, o governador espera que a população capixaba tenha uma adesão ainda maior à vacinação contra a covid-19.

"Até o dia 8 de novembro, vamos alcançar uma grande quantidade de pessoas vacinadas, pela grande quantidade de vacinas que a gente tem e que estamos disponibilizando aos municípios", destacou. 

Leia também: Eventos e shows no ES vão exigir passaporte da vacina, diz Lenise Loureiro

Microrregião Sudoeste Serrana tem situação mais avançada

De acordo com o governo do Estado, a microrregião que está mais próxima de atingir os percentuais de vacinação exigidos para ingressar no risco muito baixo é a Sudoeste Serrana.

Nessa região, 67,1% da população adulta já está imunizada com as duas doses, 71,94% dos adolescentes já receberam pelo menos uma dose e 58,43% dos idosos já foram imunizados com a dose de reforço. Na Grande Vitória, esses percentuais são de 58,67%, 51,93% e 49,61%, respectivamente.

Foto: Reprodução

Confira quais municípios compõem cada microrregião:

1 - Metropolitana: Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica, Viana, Fundão, Guarapari

2 - Central-Serrana: Itaguaçu, Santa Teresa, Itarana, Santa Maria de Jetibá e Santa Leopoldina

3 - Sudeste Serrana: Laranja da Terra, Afonso Cláudio, Brejetuba, Venda Nova do Imigrante, Domingos Martins, Marechal Floriano e Conceição do Castelo

4 - Litoral Sul: Alfredo Chaves, Anchieta, Iconha, Piúma, Rio Novo do Sul, Itapemirim, Marataízes e Presidente Kennedy

5 - Central Sul: Castelo, Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Muqui, Atílio Vivácqua, Mimoso do Sul, Jerônimo Monteiro e Apiacá

6 - Caparaó: Ibatiba, Irupi, Iuna, Muniz Freire, Ibitirama, Divino de São Lourenço, Guaçuí, Alegre, Dores do Rio Preto, Bom Jesus do Norte e São José do Calçado

7 - Rio Doce: Sooretama, Rio Bananal, Linhares, Aracruz, João Neiva e Ibiraçu

8 - Centro-Oeste: Alto Rio Novo, Pancas, São Gabriel da Palha, Vila Valério, São Domingos do Norte, Governador Lindenberg, Baixo Guandu, Colatina, Marilândia e São Roque do Canaã

9 - Nordeste: Mucurici, Montanha, Pedro Canário, Conceição da Barra, Pinheiros, Boa Esperança, São Mateus, Jaguaré e Ponto Belo

10 - Noroeste: Ecoporanga, Água Doce do Norte, Águia Branca, Barra de São Francisco, Vila Pavão, Nova Venécia e Mantenópolis