• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cachoeiro e mais dez municípios do Sul do Estado investem em produção de cacau

Geral

Cachoeiro e mais dez municípios do Sul do Estado investem em produção de cacau

A saca do cacau está custando em média R$ 520 no mercado, e a cultura requer pouca irrigação, sendo boa alternativa para quem enfrenta problemas com a seca que afeta a região

A saca de 60 kg do produto está custando em média R$ 520 Foto: Divulgação

Um encontro de produtores rurais que investem no plantio do cacau em Cachoeiro de Itapemirim, e outros dez municípios do Sul do Estado, discutiu a cultura como alternativa viável e rentável. A saca de 60 kg do produto está custando em média R$ 520 no mercado, e a cultura requer pouca irrigação, sendo boa alternativa para quem enfrenta problemas com a seca que afeta a região.

O encontro foi no auditório da cooperativa de laticínios Selita, em Cachoeiro, e recebeu representantes de Cachoeiro de Itapemirim, Atílio Vivácqua, Muqui, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Castelo, Piúma, Marataízes, Presidente Kennedy, Itapemirim e Mimoso do Sul.

“Em Cachoeiro, temos cerca de seis produtores atuando na cultura cacaueira, mas, desses, apenas um vive desse cultivo. Os outros a têm como investimento – cuidam e produzem para vender quando precisam. Queremos mostrar que ela é economicamente viável para a nossa realidade, podendo tornar-se uma fonte de trabalho e renda”, explica o secretário municipal de Agricultura de Cachoeiro, José Arcanjo Nunes.

Ainda segundo Nunes, o cacau pode ser plantado em consórcio com outras culturas. Por exemplo, com o café e o pasto para a produção de leite, que são, hoje, as maiores fontes de renda do campo no município. “Sem contar que pode ser processado por agroindústrias para a produção de cacau em pó, achocolatado, chocolate e manteiga de cacau”, acrescenta.

Incentivo ao plantio de cacau

A ação de incentivo ao plantio de cacau no Sul do Estado conta com o apoio da Associação dos Cacauicultores de Linhares (Acal); a Comissão Executiva de Planejamento da Lavoura Cacaueira (Ceplac); o Instituto Capixaba de Pesquisa e Extensão Rural (Incaper); o Sindicato Rural de Cachoeiro de Itapemirim; o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); e a Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (Faes).

Interessados em participar podem fazer inscrição pelo telefone (28) 3521-1147 ou pelo e-mail [email protected].