França determina prisão domiciliar para 104 pessoas em 48 horas

Geral

França determina prisão domiciliar para 104 pessoas em 48 horas

Uma grande ação, com polícia armada, está em andamento no bairro de Molenbeek, em Bruxelas, em meio à busca por envolvidos nos ataques da capital francesa

Redação Folha Vitória
168 localidades foram vasculhadas ao longo da última noite no país Foto: Agência Brasil

Paris - O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, disse nesta segunda-feira que 168 localidades foram vasculhadas ao longo da última noite no país e que 104 pessoas foram colocadas em prisão domiciliar nas últimas 48 horas. "É apenas o início, essas operações vão continuar, a resposta da República será grande, será total", afirmou Cazeneuve, prometendo uma ação "implacável" como reação aos ataques da sexta-feira em Paris.

Uma grande ação, com polícia armada, está em andamento no bairro de Molenbeek, em Bruxelas, em meio à busca por envolvidos nos ataques da capital francesa. A polícia belga prendeu três suspeitos no bairro pobre de Bruxelas no sábado e continua a realizar buscas. Vizinhos foram orientados a ficar em suas casas e policiais mascarados isolaram uma área do bairro, por segurança.

Também nesta segunda-feira, uma graduada autoridade da Turquia disse que autoridades apontaram para um dos suicidas dos ataques de Paris em 2014. A Turquia teria alertado os franceses sobre o suspeito, mas não recebeu resposta. Autoridades turcas identificaram Omar Ismail Mostefai como possível "suspeito de terror" em outubro de 2014 e notificaram as autoridades em dezembro de 2014 e junho de 2015.

O escritório da promotoria de Paris disse que Mostefai havia sido identificado como uma pessoa com laços com o extremismo islâmico cinco anos atrás. A fonte turca disse que Mostefai entrou na Turquia em 2013, mas autoridades não tinham registro da partida dele.

Na França, uma autoridade disse que o suspeito de ser o cérebro dos ataques de Paris também estava ligado a frustrados ataques contra um trem e uma igreja. Esse suspeito foi identificado como o belga Abdelhamid Abaaoud. Fonte: Associated Press.