Líderes da Ásia se comprometem a reparar diferenças entre si

Geral

Líderes da Ásia se comprometem a reparar diferenças entre si

Redação Folha Vitória

Seul, 01/11/2015 - Líderes da Coreia do Sul, da China e do Japão informaram que se comprometeram a impulsionar a cooperação econômica e comercial entre as três nações e a tentar reparar as diferenças entre si causadas por disputas territoriais históricas, em um raro encontro neste domingo.

O encontro de um dia em Seul foi o primeiro em mais de três anos. O contato entre Tóquio e seus dois vizinhos asiáticos foi dissipado depois de o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, assumir o cargo, ao final de 2012. Pequim e Seul veem Abe como alguém que quer encobrir atrocidades cometidas durante a guerra.

Um comunicado conjunto emitido após a reunião informou que os três países concordaram em tentar resolver essas questões históricas e em melhorar a relação entre si "enfrentando diretamente a história e avançando em direção ao futuro".

Os países também se comprometeram a retomar a reunião anual de líderes e a impulsionar e aprofundar a cooperação econômica, acelerando o livre comércio entre si. Os vizinhos asiáticos também reafirmaram a sua determinação de continuar com as negociações internacionais relacionadas ao programa de armas nucleares da Coreia do Norte.

"Acho que é historicamente importante que a cooperação trilateral tenha sido retomada", disse a presidente sul-coreana Park Geun-hye, em uma coletiva de imprensa conjunta com Abe e o premiê chinês Li Keqiang.

Começando seu discurso com um "olá" no idioma coreano, em um gesto amigável, Abe disse que trocou opiniões sobre como alcançar a prosperidade regional com Park e Li de uma maneira "consideravelmente sincera". Ele disse que o Japão irá sediar o encontro de líderes do próximo ano.

Apesar dos protestos de Seul e Pequim, Abe não se rendeu, no que se refere ao seu nacionalismo. Mesmo assim, os três países, intimamente ligados economicamente, estão tentando encontrar uma maneira de melhorar a relação entre si.

No sábado, Park e Li se reuniram separadamente e concordaram em trabalhar em direção à ratificação até o final do ano de um acordo de livre comércio bilateral que os seus poderes legislativos ainda têm de aprovar.

Já Park deve encontrar Abe neste domingo. O presidente chinês, Xi Jinping, se reuniu com Abe em novembro passado, em meio a uma conferência regional que Pequim sediou. Desde então, eles já se encontraram duas vezes.

A Coreia do Norte estava na pauta neste domingo. Mísseis de Pyongyang e seu programa nuclear têm representado há bastante tempo uma séria preocupação de segurança para Seul e Tóquio. A China é a única grande aliada da Coreia do Norte e sua maior benfeitora, mas tem dado sinais de que está cada vez mais farta das repetidas provocações da Coreia do Norte.

Park disse a Li que deseja que a China continue a desempenhar um papel construtivo nas questões da Coreia do Norte, enquanto Li pediu mais paciência para continuar os esforços para chegar a uma península coreana livre de armas nucleares, segundo informou o escritório de Park.