Método montessoriano: o papel do aluno na sua educação

Geral

Método montessoriano: o papel do aluno na sua educação

O Método Montessoriano busca o desenvolvimento da criança em um aprendizado diligente, no qual cada aluno assume seu papel ativo no processo pedagógico

O professor passa a ter uma função observadora e investigadora, para estimular a criança Foto: ​Divulgação

Você já ouviu falar no Método Montessoriano? Para alguns ele é novidade, mas foi criado no século 18 pela pedagoga e médica italiana Maria Montessori, que acreditava que a educação, particularmente a do estágio pré-escolar, deve privilegiar a busca direta e pessoal do aprendizado, através do contato com objetos e atividades práticas.

Método Montessoriano busca o desenvolvimento da criança em um aprendizado diligente, no qual cada aluno assume seu papel ativo no processo pedagógico. Desse modo, o saber é construído por ele com o apoio de livros e objetos didáticos, brinquedos, natureza e até animais.

“É um método muito interessante do ponto de vista pedagógico porque faz a interação da criança o tempo todo com o meio onde ela está. No Método Montessoriano, cada criança assume a sua responsabilidade dentro da sala de aula. Os alunos geralmente são divididos em grupos e são estimulados a interagir com o meio. Uma sala montessoriana providencia muitos objetos para que a criança possa ter contato, como livros, bonecas de todas as cores para estimular a questão das diferenças, objetos que reportam à natureza, como uma árvore pequena e pequenos animais, tudo isso para estimular e desenvolver esse aprendizado com a natureza”, explica a psicopedagoga e Doutora em Educação Edna Tavares.

Segundo Edna, os pilares da educação montessoriana se dividem em autoeducação; educação como ciência; educação cósmica, que é a forma como ele vai conhecer o mundo e o meio ambiente; e o ambiente e adultos preparados, nesse caso, o professor e a família. “O resultado disso é uma criança equilibrada. O professor deixa de ser a figura que vai observar só a parte técnica, ele passa a ser um observador do comportamento, vai observar porque ela não tem interesse na parte da ciência, por exemplo. O professor passa a ter uma função observadora e investigadora, para estimular a criança pensar um pouco mais e buscar o aprendizado, para que ele não seja imposto”.

É por isso que é preciso ter uma formação específica para trabalhar o Método Montessoriano e, especialmente, contar com a participação da família no processo. “Educar não é só uma tarefa da escola, mas uma tarefa da escola e da família”, afirma Edna.

Pontos moeda