• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Novembro Azul: ações em terminais do Transcol de Vila Velha vão chamar atenção para saúde do homem

Geral

Novembro Azul: ações em terminais do Transcol de Vila Velha vão chamar atenção para saúde do homem

A primeira ação está prevista para acontecer na tarde desta quarta-feira (04), no Terminal de São Torquato, entre 14h e 18h30. A previsão é que uma vez por mês a ação seja realizada

A previsão é que uma vez por mês a ação aconteça em outros terminais de Vila Velha Foto: Divulgação

No Brasil um em cada seis homens pode ter câncer de próstata. Em 2015 aproximadamente 69 mil novos casos da doença serão registrados.

A campanha novembro azul vai contar com diversas ações para chamar a atenção dos homens em relação à saúde, principalmente ao câncer de próstata. Em Vila Velha, além das ações em unidades de saúde, os terminais do município também vão receber equipes de profissionais para orientar sobre a doença.

A primeira ação está prevista para acontecer na tarde desta quarta-feira (04), no Terminal de São Torquato, entre 14h e 18h30. A previsão é que uma vez por mês a ação aconteça em outros terminais de Vila Velha.

De acordo com a Secretária de Saúde do município, Andreia Passamani, o objetivo não é só alertar sobre o câncer, mas também para outras doenças. “Vamos fazer abordagens ao público masculino, principalmente na faixa etária acima dos 45 anos, trabalhando a questão da obesidade, hipertensão, diabetes e também o câncer”, explicou.

Neste mês de novembro, os próximos terminais que vão receber as ações são: Terminal de Vila Velha, no dia 11; Terminal do Ibes, dia 18; e Terminal de Itaparica, dia 25. Todos os atendimentos vão acontecer de 14h às 18h30. Nestes locais também será possível realizar testes rápidos de HIV e Sífilis, aferição de pressão e glicemia. Caso seja constatado alguma irregularidade o paciente será encaminhado para a unidade de saúde mais próxima de onde ele mora.

Para Andreia essa ação é importante porque o homem não tem o hábito de ir ao médico. “Nós temos três urologistas que atendem no Centro Municipal de Especialidades. As agendas são cheias, mas não há uma demanda reprimida. Não tem fila. Quando você compara com a procura pela ginecologia, nós temos um número maior de médicos ginecologistas, e ainda assim tem fila de espera”, diz.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o segundo mais comum no país e atinge um em cada seis homens. Por ano são registrados aproximadamente 69 mil novos casos e a orientação médica é que todo o homem acima de 45 anos faça o exame de toque uma vez ao ano.