• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

“Onda de lama” deve se espalhar e atingir cerca de 10 mil km² do litoral capixaba

Geral

“Onda de lama” deve se espalhar e atingir cerca de 10 mil km² do litoral capixaba

De acordo com o biólogo André Ruschi, já é possível prever os danos ambientais. Segundo André, assim que chegar ao mar, a lama deve atingir cerca de 10 mil km2 do litoral do ES

Ainda não é possível mensurar com exatidão os danos ambientais que serão causados pela “onda de lama” com rejeitos usados no processo de mineração da empresa Samarco. A lama, que deve atingir municípios do Espírito Santo na tarde desta terça-feira (10), é decorrente do rompimento de uma barragem, no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, Minas Gerais, na última quinta-feira (5).

Previsão é de que assim que a lama tóxica atingir o mar, deva atingir cerca de 10 mil km quadrados Foto: Arte Folha Vitória

De acordo com o biólogo diretor da Estação Biologia Marinha Ruschi, André Ruschi, já é possível prever os danos ambientais causados pela lama tóxica. Em uma publicação em sua página na rede social Facebook, André explica que assim que chegar ao mar, a lama deve atingir cerca de 10 mil quilômetros quadrados do litoral capixaba.

Poluição de lama que deve desaguar em Linhares trás poluentes que irão para o mar Foto: Giovani Pagotto

“Esta sopa de lama tóxica que desce no Rio Doce e descerá por alguns anos toda vez que houver chuvas fortes e irá para a região litorânea do ES, espalhando-se por uns 3.000 km2 no litoral norte e uns 7000 km2 no litoral ao sul”, escreveu o biólogo em uma rede social.

Tão preocupante quanto, o biólogo afirma que a lama atingirá, também, três unidades de conservação ambiental (UCs): Comboios, Costa das Algas e Santa Cruz. Juntas, as reservas somariam 200 mil hectares no mar.

“Santa Cruz é um dos mais importantes criadouros marinhos do Oceano Atlântico. Um hectare de criadouro marinho equivale a 100 hectares de floresta tropical primária. Isto significa que o impacto no mar equivale a uma descarga tóxica que contaminaria uma área terrestre de 20 milhões de hectares ou 200 mil km2 de floresta tropical primária”, afirma.

André ainda afirma que as consequências ambientais da tragédia podem reverberar por décadas. “Os minerais mais tóxicos e que estão em pequenas quantidades na massa total da lama, aparecerão concentrados na cadeia alimentar por muitos anos, talvez uns 100 anos”, completou.

Leia também:
Onda de lama se aproxima e já deixa água do Rio Doce escura em Baixo Guandu
Sobreviventes falam do futuro e querem reerguer comunidade

Lama deve chegar na madrugada desta terça-feira na Usina Hidrelétrica de Mascarenhas Foto: Fred Loureiro/Secom-ES

Autoridades estaduais e municipais acompanham o avanço da mancha em tempo real. Por uma orientação da Agência Nacional de Águas (ANA), os municípios devem cessar o abastecimento de água quatro horas antes de a lama chegar ao município. Não há previsão para a volta do abastecimento nas cidades.

O secretário Estadual de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, João Coser, que está em Colatina, na região Noroeste do Espírito Santo, afirmou que a volta do abastecimento dependerá da análise da qualidade da água.

"A suspensão do abastecimento será feita aproximadamente quatro horas antes de a lama chegar à cidade. Já a liberação deve ser feita após as análises da água nos laboratórios credenciados. Por isso, não há previsão de quando o abastecimento será liberado nas cidades", afirmou.

Tragédia em Mariana Fotos: Antonio Cruz/Agência Brasil/Reprodução/Record Minas/Divulgação/PM

Bombeiros do ES em Mariana: três cães do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo foram disponibilizados junto com uma equipe de quatro militares para ajudarem nas buscas por corpos e desaparecidos em Mariana. O apoio dos militares capixabas terá início na manhã desta terça-feira (10). Leia reportagem completa.

Apoio federal: o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, colocou à disposição do governo do Estado as ações federais para enfrentar a chegada ao Estado da onda de lama. O assunto foi discutido durante contato telefônico do ministro com o secretário estadual de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, João Coser. Leia reportagem completa.

Hartung sobrevoa o Rio Doce: o governador Paulo Hartung sobrevoou os municípios de Linhares, Colatina e Baixo Guandu, que irão receber lama de rejeitos que castigam o Rio Doce. Hartung esteve reunido com técnicos que trabalham na região. Leia reportagem completa.

Doação de água mineral: o Corpo de Bombeiros arrecadou em Vitória, 1,5 mil litros de água mineral para minimizar os danos às pessoas afetadas pelos resíduos de minérios. A previsão é de que a água comece a ser transportada na quarta-feira (11). Leia reportagem completa.

Samarco intimada: o MPF e o MPES obtiveram decisão liminar que obriga a Samarco, o Iema, a Sanear e o Saae, a adotarem uma série de ações visando à produção e à conservação necessárias para reparação pelos danos ambientais e danos morais coletivos causados no Estado por conta do rompimento das barragens. Leia reportagem completa.

Paulo Hartung sobrevoou a Usina Hidrelétrica de Mascarenhas, que fornece energia para o ES Foto: Giovani Pagotto