• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Onda de lama se aproxima e já deixa água do Rio Doce escura em Baixo Guandu

Geral

Onda de lama se aproxima e já deixa água do Rio Doce escura em Baixo Guandu

O prefeito informou que o Rio Doce apresenta algumas mudanças. Segundo Neto, a população já está preparada desde que tudo aconteceu e que o abastecimento ainda está normal

Sobrevoo na manhã desta terça mostra que a coloração da água já mudou em municípios capixabas Foto: Divulgação

Prevista para a madrugada desta terça-feira (10), a onda de lama ainda não chegou ao município de Baixo Guandu, mas o Rio Doce já apresenta mudanças e a água já está mais escura. 

“A expectativa é de que o material venha chegando aos poucos. Primeiro veio uma onda de água limpa atribuída a uma água um pouco mais suja. O material que seria a lama, vem sendo despejado aos poucos”, disse o prefeito do município Neto Barros. 

O prefeito informou, durante uma entrevista por telefone ao programa Fala Manhã da TV Vitória/ Record, que o Rio Doce apresenta algumas mudanças, e que a população já está preparada desde que tudo aconteceu.

“Desde que aconteceu o evento em Mariana do rompimento da barragem, as nossas equipes já estão a postos e organizadas para amenizar o máximo que puder. Já são 36 horas de muita preocupação, trabalho e expectativa. A população está preocupada, porque não seria diferente. As catástrofes dessa onda produzem notícias de todos os tipos”. 

Sobre ao abastecimento, o prefeito disse que foi retomado à meia noite. “O abastecimento foi interrompido às 22 horas e retomado à meia noite. Porque a água que ainda está chegando é possível ser captada. Nós iremos suspender a captação assim que o material mais pesado chegar porque impossibilita a captação. Nós faremos as análises da água para garantir a segurança da população”. 

Ele informou ainda que as aulas na cidade já foram suspensas. “As aulas estão suspensas pelos dois próximos dias. Mas depois que o material chegar nós vamos ver qual será a situação”. 

Colatina

De acordo com o prefeito de Colatina, Leonardo Deptulski, a população está angustiada com a situação. “A situação está gerando uma angústia muito grande. A possibilidade de termos que suspender o atendimento gera muita angústia. Hoje as aulas já estão suspensas porque a previsão era de que ontem à tarde teríamos que suspender o abastecimento e já temos um adiamento de no mínimo 24 horas". 

Deptulski disse que a água está ainda dentro dos padrões para o abastecimento. “Estamos acompanhando a chegada da onda e ela já estava começando a chegar à primeira barragem, em Aimorés. Durante a noite ela continuou chegando e houve um aumento no volume de água. O volume está quatro vezes mais alto, mas ainda está bem abaixo do volume que operou em Valadares. A água continua dentro dos padrões para o abastecimento.”

Rompimento

Uma barragem de rejeito da empresa de mineração Samarco se rompeu na tarde da última quinta-feira (05), entre os municípios de Mariana e Ouro Preto, a cerca de 110 quilômetros de Belo Horizonte. A barragem de rejeito é uma estrutura para armazenar resíduos da mineração. Pelo menos 128 residências foram atingidas pela onda de lama e dejetos na cidade.

Na manhã da última sexta-feira (06), moradores da cidade de Rio Doce, na Zona da Mata, foram surpreendidos pelo avanço dos rejeitos de minério de ferro no leito do rio. Ainda na sexta-feira, o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgou alerta para os municípios de Colatina, Linhares e Baixo Guandu, localizados às margens do Rio Doce no Espírito Santo.