Apesar de queda, número de analfabetos no Espírito Santo é de 185 mil

Geral

Apesar de queda, número de analfabetos no Espírito Santo é de 185 mil

Já a taxa de escolarização dos adolescentes com idades entre 15 e 17 anos aumentou. Subindo para 84%. A rde pública de ensino foi a mais frequentada por estudantes no ano pasado

757 mil alunos estudaram na rede pública no ano passado no Espírito Santo Foto: Divulgação

A pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2015 mostrou que a taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade ficou em 6% no Estado, diminuindo na comparação com a taxa verificada em 2014, quando foi registrado 6,6%. Já a taxa nacional foi de 8%.

Em números absolutos, são 185 mil pessoas não alfabetizadas no Estado, em 2015. As mulheres dominam este índice, sendo a maioria, 60,0% o que representa 111 mil mulheres. Já os homens analfabetos totalizavam 74 mil (40,0%). No ano anterior, eram 201 mil analfabetos no Estado, sendo 116 mil mulheres e 85 mil homens.  

Já a taxa de escolarização dos adolescentes com idades entre 15 e 17 anos aumentou. Subindo para 84%. Para calcular a taxa de escolarização, a PNAD utiliza a frequência à escola, que é a proporção de estudantes de uma faixa etária em relação ao total de pessoas do mesmo grupo de idade. 

No Espírito Santo, em 2015, a taxa de escolarização das crianças de 4 a 5 anos de idade foi de 86,5%, quase inalterada em relação à taxa em 2014 (86,4%). A maior taxa de escolarização ocorreu entre crianças de 6 a 14 anos (98,6%), faixa de idade que corresponde ao ensino fundamental. Em 2014, esta taxa era de 97,5%. Entre os adolescentes de 15 a 17 anos, a taxa de escolarização foi de 84,0% em 2015, contra 81,3% no ano anterior. 

Já para a faixa etária das pessoas entre 18 e 24 anos, a taxa de escolarização foi de 32,6% em 2015, valor próximo ao de 2014 (32,5%). Para pessoas com 25 anos ou mais de idade, a taxa foi de 3,3%, caindo em relação à taxa em 2014 que foi 3,6%.

No Espírito Santo em 2015, havia 961 mil estudantes de 4 anos ou mais de idade. Destes, 757 mil estudavam na rede pública, correspondendo a 78,7% dos estudantes. Na análise por nível de ensino, a maior parte dos estudantes da pré-escola (86,4%), do ensino fundamental (90,0%) e do ensino médio (90,6%) frequentavam a rede pública, enquanto a maior parte dos estudantes do nível superior (82,2%) frequentavam a rede privada.