• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após o sucesso no Rio de Janeiro, bronze na laje chega ao Espírito Santo

  • COMPARTILHE
Geral

Após o sucesso no Rio de Janeiro, bronze na laje chega ao Espírito Santo

A personal bronze Erika Romero Martins vem ao Estado no próximo mês lançar sua linha de biquínis e bronzeador, e aproveitará para fazer uma sessão de bronzeamento natural

O procedimento de bronze na laje ganhou adeptas capixabas, que buscam a marquinha perfeita de biquíni Foto: ​Divulgação

A moda da marquinha de biquíni perfeita, sucesso entre as cariocas, chegará ao Espírito Santo no próximo mês. É o que o promete a personal bronze Erika Romero Martins, que vem ao Estado divulgar sua linha de roupas moda praia e de bronzeadores. A famosa técnica tem adeptas capixabas. Em julho deste ano, um grupo de 15 mulheres de Cachoeiro foi até Realengo, no Rio de Janeiro, para tomar sol na laje. 

Segundo a personal, há também clientes de Vitória. “Estamos analisando locais para fazermos uma sessão em Cachoeiro. Vendo o bronzeado perfeito, as capixabas gostaram da técnica. Além disso, quero lançar no Estado minha linha de biquínis, próprios para o bronzeamento, e meu bronzeador. No verão, estaremos vendendo os produtos em Marataízes e Piúma”, conta Erika.

Para ter o bronze perfeito, Erika sugere que a cliente faça três sessões. “Fica uma marca bem acesa e bem feita. Gasto em média de cinco a 10 minutos para fazer o biquíni de fita isolante no corpo da cliente. Dependendo da temperatura e da pele, o tempo de sol pode variar entre 1h e 1h20”, explica. 

A cliente fica exposta ao sol entre as 9h e 11h, na laje da casa de Erika. “Não realizamos o procedimento à tarde. Somente duas horas durante a manhã”, continua. Ela recebe uma média de 25 a 30 clientes por dia, de segunda a segunda. “Todas usam protetor solar e hidratantes para a pele”, ressalta.

Bronze na laje

Erika vem ao Espírito Santo em dezembro lançar sua linha de biquínis e bronzeadores Foto: ​Divulgação

Como morava longe da praia, Erika descobriu no que mais gostava, que era tomar sol, uma profissão. “Eu morava há duas horas da praia, e percebia que quando chegava lá eu só queria tomar sol, mais nada. Ficava pensando: ‘podia ter ficado em casa na laje’, e assim comecei, até perceber que isso poderia ser minha profissão”, conta a personal.

Há 12 anos, Erika começou a atender as mulheres que procuram a marquinha perfeita. “Naquela época eu morava na Vila Aliança, era uma comunidade conhecida, mas as pessoas não iam muito. Quando me mudei para Realengo, elas começaram a vir. Ano passado e esse ano tem sido o auge do bronzeamento natural na laje”, continua.

Além do Espírito Santo, ela recebe clientes de Minas Gerais e São Paulo. “Vou lançar agora no início de dezembro a linha de bronzeadores. Meu produto é feito à base de urucum e cacau, o que garante a hidratação da pele e não descasca. Estamos só aguardando a liberação do código da Anvisa para colocarmos no mercado. O pote de 90 gramas será vendido por R$ 50”, frisa.

Recentemente, a personal lançou uma linha de biquínis especiais para bronzeamento. “Bolei uma técnica de bronzear bem com o biquíni. Ele é feito com elástico na lateral e tiras que ajudam no bronze e não enrolam. No Rio de Janeiro são febre entre as mulheres. As funkeiras são todas minhas clientes”, garante.

Depois do sucesso, Erika tem planos de expansão. “Pretendo fazer um Spa do bronzeamento. Quero ter quartos para que as clientes de outros estados tenham onde se hospedar. Quero uma laje maior para atender mais clientes”, finaliza.

Para dias nublados, Erika utiliza a técnica à jato com spray, o que segundo ela, garante o bronzeamento bem parecido com o natural.

Caravana

A personal bronze Erika contou que recebe clientes do Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo Foto: ​Divulgação

Em julho deste ano, um grupo de 15 mulheres de Cachoeiro foi até Realengo atrás da marquinha perfeita. Uma delas, é a cunhada de Erika, que divulgou para as amigas a técnica da personal. “Fui contando para minhas primas e amigas e elas começaram a ver os resultados, através da página da Erika na internet e gostaram. Então, juntamos um grupo e fomos”, conta Gabriela.

Elas saíram de Cachoeiro pela manhã e retornaram no fim do dia. “Eu não gosto muito da marquinha que as cariocas usam, então optei por fazer com um biquíni normal. Não fiz com a fita isolante Passamos o bronzeador dela e ficamos no sol”, conta a cunhada.

O custo da viagem ficou em R$ 170 o transporte, mais o valor do bronzeamento, que é de R$ 70 e a alimentação. “É uma técnica rápida, não precisamos sofrer. Fica muito natural e não descascamos após o bronzeamento. Já até pensamos em ir novamente, mas a Erika vem à Cachoeiro em dezembro”, completa Gabriela.