ES é o primeiro estado em probabilidade de sobrevivência até os 80 anos, aponta IBGE

Geral

ES é o primeiro estado em probabilidade de sobrevivência até os 80 anos, aponta IBGE

Segundo a pesquisa, em um grupo de mil mulheres com 60 anos, 723 conseguiram chegar aos 80. Já entre os homens, a proporção foi de 581 por mil

Foto: Reprodução

A preocupação com a qualidade de vida tem gerado bons resultados entre os capixabas. De acordo com dados da Tábua Completa de Mortalidade 2019, divulgados nesta quinta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Espírito Santo é o primeiro estado do Brasil em probabilidade de sobrevivência até os 80 anos de idade.

A pesquisa verificou a probabilidade de um indivíduo de 60 anos sobreviver até os 80 anos de idade. De acordo com os dados do IBGE, referentes ao ano passado, em um grupo de mil mulheres com 60 anos, 723 conseguiram chegar aos 80 no estado. Já entre os homens, a proporção foi de 581 por mil.

Além disso, a pesquisa constatou que o Espírito Santo foi o estado brasileiro que apresentou o maior valor da expectativa de vida entre indivíduos com 60 e 65 anos, em 2019. Segundo o IBGE, as pessoas com 60 anos no estado têm a expectativa de viver, em média, mais 24,4 anos, ou seja, chegar aos 84,4 anos. Já o indivíduo com 65 anos tem boas chances de viver mais 20,5 anos, chegando, portanto, aos 85,5 anos.

Brasil

Em todo o Brasil, segundo os dados da Tábua de Mortalidade, a expectativa de vida ao nascer das mulheres foi de 80,1 anos, ante 73,1 anos dos homens. Ainda segundo a pesquisa, a expectativa de vida ao nascer do brasileiro ficou em 76,6 anos em 2019, ante 76,3 anos em 2018.

A longevidade dos brasileiros também vem aumentando ano a ano. Em 1940, um indivíduo que completasse 65 anos esperaria viver em média mais 10,6 anos (no caso dos homens, seriam 9,3 anos, e das mulheres, 11,5 anos). Em 2019, esses valores passaram a ser de 18,9 anos para ambos os sexos (17,2 anos para homens e 20,4 anos para as mulheres).

Assim, em 2019, as expectativas de vida ao atingir 80 anos foram de 10,5 para mulheres e de 8,7 anos para os homens. Em 1940, conforme o IBGE, esses valores eram de 4,5 anos para as mulheres e 4,0 anos para os homens. Em 1940, 2,4% da população total tinham 65 anos ou mais. Em 2019, os brasileiros acima de 65 anos representavam 9,5% do total.

A Tábua da Mortalidade é divulgada anualmente pelo IBGE e usa como referência dados de 1º de julho do ano anterior. O dado, que é uma média da expectativa de vida dos dois sexos, foi publicado na edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União. 

Com informações do Estadão Conteúdo