"Foi um desrespeito", diz zeladora de prédio atingido por fezes de cachorro na portaria

Geral

"Foi um desrespeito", diz zeladora de prédio atingido por fezes de cachorro na portaria

Marinete dos Santos, de 53 anos, conta que trabalha há mais de 10 anos como zeladora, e que havia acabado de limpar tudo quando a mulher sujou o local

Redação Folha Vitória

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória

Após uma mulher ser flagrada esfregando fezes de cachorro na portaria de um prédio na Mata da Praia em Vitória, a zeladora do local disse que a situação aconteceu depois de ser xingada pela mesma pessoa.

Marinete dos Santos, de 53 anos, contou que trabalha há mais de 10 anos no local e que havia acabado de limpar tudo quando a mulher esfregou as fezes.

As imagens foram registradas por câmeras de videmonitoramento do prédio na última terça-feira (9), no bairro Mata da Praia.

A funcionária lembra que estava limpando a calçada do edifício com uma mangueira, quando a mulher apareceu na esquina com o cachorro. Marinete pediu para que a mulher passasse com o cachorro do outro lado da rua, para evitar que o animal fizesse as necessidades no local que ela estava limpando. 

Segundo a zeladora, foi nesse momento que a mulher começou a xingá-la.

"Ela já virou me mandando calar a boca, então eu disse que ela era sem educação. Ela me xingou de várias coisas, não foi racista, mas me xingou muito", contou.

Trabalhadora estava se preparando para uma consulta médica quando foi surpreendida com a portaria suja

A zeladora contou que tinha uma consulta médica marcada naquele dia, e que sairia mais cedo devido a isso. Então, ela continuou a limpeza no interior do prédio após a discussão e quando terminou, se arrumou para ir ao médico.

Quando chegou na portaria que havia acabado de limpar, viu os vidros sujos de fezes e a sacolinha que a dona do cachorro jogou por dentro da portaria por cima do muro.

"Eu entrei em desespero, comecei a chorar. Meu marido e minha filha vieram para me ajudar, lavamos tudo juntos e só depois fomos embora", desabafou.

Quando Marinete viu as imagens de videomonitoramento, identificou a mulher com quem tinha discutido. No prédio, nenhum morador quis gravar entrevista, mas por telefone, a síndica disse que todos ficaram indignados com a situação.

A zeladora fala em falta de respeito: "Foi um desrespeito, ela não considerou nem a mim e nem o meu trabalho. As pessoas acham que as faxineiras são pessoas piores, só porque estão com uma vassoura na mão. Só quero que aquela mulher não repita o que fez a mim para mais ninguém".

O condomínio registrou um boletim de ocorrência para que a Polícia Civil investigue o caso.A mulher que sujou a portaria com fezes ainda não foi encontrada.

Em nota, a Polícia Civil informou que o caso está sendo investigado e orientou que vítimas desse tipo de assédio registrem boletim de ocorrência presencialmente ou por meio da Delegacia Online