Audiência de rodoviários termina sem acordo e decisão sobre greve só na quarta-feira

Geral

Audiência de rodoviários termina sem acordo e decisão sobre greve só na quarta-feira

O principal tema debatido entre os representantes das empresas de ônibus da Grande Vitória e rodoviários foi novamente o pagamento integral do plano de saúde

População segue apreensiva Foto: Divulgação

Após audiência de conciliação na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES), realizada na manhã desta segunda-feira (1), em Vitória, os rodoviários adiaram para quarta-feira (3) a decisão de deflagrar uma nova greve.

De acordo com assessoria do TRT-ES, a audiência de mediação acontecerá às 10 horas, no Plenário do TRT.

O principal tema debatido entre os representantes das empresas de ônibus da Grande Vitória e rodoviários foi novamente o pagamento integral do plano de saúde. Os profissionais reivindicaram também reajuste salarial de 15% e tíquete alimentação de R$ 4,00.

Decisão
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) julgou o recurso impetrado pelo Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus) e pelo Setpes, referente ao dissídio coletivo do ano de 2013, e reverteu a decisão do Tribunal Regional do Trabalho. Pela decisão, as empresas vão poder rever o reajuste de 10% concedido para os motoristas. Além dos salários, a decisão atinge também reajuste do plano de saúde, tíquete alimentação em R$ 2,00 e adicional de 10% para motoristas de seletivos e microonibus.

Pela decisão do TST, fica determinado que o GVBus e o Setpes  reduzam o reajuste concedido no salário e no plano de saúde de 10% para 5,58%, substituam o aumento do ticket alimentação de R$ 2,00 para um reajuste de 5,58%, suspendam o adicional de 10% para os motoristas de seletivos e microônibus, mantendo o salário deles igual ao dos motoristas convencionais, além de determinar descontos dos dias parados na greve em dezembro de 2013.

Rodoviários decidem
Em assembleia realizada no dia 26 de novembro, os motoristas e filiados ao Sindicato dos Rodoviários (Sindirodovários) decidiram entrar em greve. Trabalhadores e empresários do setor estão em impasse nas negociações salariais deste ano. Os rodoviários pedem reajuste salarial de 15%, tíquete-alimentação no valor de R$ 4,00 e pagamento integral do plano de saúde. O sindicato patronal ofereceu 8% de reajuste, R$ 2,00 no tíquete-alimentação e 80% de cobertura no plano de saúde. A categoria rejeitou a proposta.

Ônibus nas ruas
Enquanto a situação não é definida pelos envolvidos, a população segue apreensiva sobre a possibilidade de ter o serviço de transporte interrompido. Na manhã desta segunda-feira (1), os coletivos circularam normalmente. De acordo com o diretor do Sindicato, Silvio Carlos, a população não será surpreendida. “Não queremos pegar a população de surpresa. Se não houver um acordo hoje ou amanhã, vamos começar a greve na quinta-feira. Queremos fazer tudo dentro da lei”, disse.