• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Decisão sobre greve de ônibus na GV sai hoje: motoristas e cobradores tentam acordo salarial

Geral

Decisão sobre greve de ônibus na GV sai hoje: motoristas e cobradores tentam acordo salarial

Enquanto a situação não é definida pelos envolvidos, a população segue apreensiva sobre a possibilidade de ter o serviço de transporte interrompido

Decisão pode sair nesta segunda-feira Foto: Divulgação/Governo

Motoristas de ônibus e cobradores que atuam na Grande Vitória, e que estão em indicativo de greve, participam de uma mesa de negociação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES) na manhã desta segunda-feira (01). Caso não haja acordo na negociação salarial, os rodoviários prometem paralisar o transporte coletivo.

De acordo com o diretor do Sindicato, Silvio Carlos, os ônibus circularão normalmente durante todo o dia. “Estamos esperando uma audiência do TRT. Esse encontro deve acontecer hoje ou amanhã. Essa mediação do TRT é fundamental. Enquanto isso, vamos trabalhar normalmente e com toda a frota operando”, afirmou. 

Enquanto a situação não é definida pelos envolvidos, a população segue apreensiva sobre a possibilidade de ter o serviço de transporte interrompido. Segundo Sílvio, uma greve surpresa está descartada. “Se o TRT demorar, vamos lançar o edital de greve. Não queremos pegar a população de surpresa. Se não houver um acordo hoje ou amanhã, vamos começar a greve na quinta-feira. Queremos fazer tudo dentro da lei”, disse.

Impasse
Em assembleia realizada no dia 26 de novembro, os motoristas e filiados ao Sindicato dos Rodoviários (Sindirodovários) decidiram entrar em greve. Trabalhadores e empresários do setor estão em impasse nas negociações salariais deste ano. Os rodoviários pedem reajuste salarial de 15%, tíquete-alimentação no valor de R$ 4,00 e pagamento integral do plano de saúde. O sindicato patronal ofereceu 8% de reajuste, R$ 2,00 no tíquete-alimentação e 80% de cobertura no plano de saúde. A categoria rejeitou a proposta.