• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chuvas deixam milhares de desabrigados na Argentina, Uruguai e Paraguai

Geral

Chuvas deixam milhares de desabrigados na Argentina, Uruguai e Paraguai

Buenos Aires, 26 - As inundações e cheias de rios provocadas pelas fortes chuvas dos últimos dias deixaram milhares de desabrigados na Argentina, Uruguai, Paraguai e no sul do Brasil. Pelo menos duas pessoas morreram ontem na Argentina, incluindo uma criança. "Essa inundação parece ser uma das mais complicadas da história", disse o ministro do Interior argentino, Rogelio Frigerio.

Na Argentina, as províncias mais afetadas são Chaco, Formosa, Corrientes, Entre Ríos e Santa Fé, perto da fronteira com o Paraguai. "O problema maior será quando as águas baixarem", afirmou o governador de Corrientes, Ricardo Colombi. O governo da Argentina já criou uma "comitê de crise" para avaliar a situação. Quase 20 mil pessoas estão desabrigadas no país.

Com a cheia do Rio Paraguai, a situação na capital paraguaia, Assunção, também é complicada. Neste sábado, o rio estava com uma altura de 7,82 metros, muito acima do nível médio de 4,3 metros poucos meses atrás. No país, já são mais de 100 mil desabrigados. Na pequena cidade de Alberdi, todos os 7 mil habitantes foram retirados de sua casa, em função do perigo de rompimento do muro de contenção que impede a água de inundar o povoado.

No Uruguai, as últimas informações do Sistema Nacional de Emergências apontam 9.083 desabrigados, muitos deles na província de Artigas. O Rio Quaraí, na fronteira com o Brasil, transbordou em vários pontos.

No Brasil, a presidente Dilma Rousseff sobrevoou na manhã deste sábado as áreas afetadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul e se reuniu com prefeitos gaúchos para ouvir as principais necessidades dos moradores. Ela prometeu ajuda ao Estado e disse que é preciso retirar, de forma permanente, as pessoas das áreas de risco. As enchentes dos últimos dias castigaram principalmente a Fronteira Oeste e a Região Central do Estado, deixando milhares de pessoas fora de casa durante o Natal. Fonte: Associated Press.