VÍDEO | Veja o panorama dos estragos provocados pela chuva nos municípios capixabas

Geral

VÍDEO | Veja o panorama dos estragos provocados pela chuva nos municípios capixabas

De acordo com o boletim mais recente da Defesa Civil estadual, divulgado no final da tarde desta quinta-feira, pelo menos 14 pessoas estão desalojadas

Foto: Reprodução

A forte chuva que atinge o Espírito Santo desde quarta-feira (9) provocou estragos, alagamentos e muito transtorno para moradores de diversos municípios capixabas, tanto do interior quanto da Grande Vitória. De acordo com o boletim mais recente da Defesa Civil estadual, divulgado no final da tarde desta quinta-feira (10), pelo menos 14 pessoas estão desalojadas — morando na casa de parentes e amigos. Oito são de Cariacica e seis de Ibiraçu. No entanto, em Castelo, no sul do estado, uma das cidades mais castigadas pela chuva, a prefeitura informou que o número de pessoas fora de suas casas já chegou a 180.

Ainda segundo o boletim da Defesa Civil estadual, a cidade que apresentou o maior acúmulo de chuva, nas últimas 24 horas, foi a Serra, onde o volume chegou a 183.84 milímetros. Completam a lista das cinco cidades com os maiores volumes de chuva Ibiraçu (163.64 mm), Irupi (161.80 mm), Iúna (156.6 mm) e Fundão (156.18 mm).

Serra

Na Serra, município onde houve maior acúmulo de chuva, segundo a Defesa Civil estadual, um muro desabou e atingiu o quarto de uma casa, no bairro Nova Carapina, e a cama de uma criança. Três pessoas estavam no imóvel, mas ninguém ficou ferido.

Foto: Reprodução TV Vitória

No mesmo município, o estoque de uma loja de brinquedos foi alagado pela forte chuva. Em um vídeo divulgado pela proprietária da loja, ela pede ajuda para tentar recuperar as mercadorias. O estoque havia sido reforçado por conta das vendas para o Natal.

Ainda na Serra, durante a chuva de quarta-feira, um raio atingiu um transformador, próximo a uma creche no bairro Valparaíso. Em um vídeo, é possível observar a fumaça que saiu do objeto. 

De acordo com a prefeitura, o transformador pegou fogo, mas a própria chuva apagou o incêndio. Não houve feridos. Os bombeiros foram acionados, mas não houve necessidade de irem até o local.

Cariacica

Em Cariacica, onde oito pessoas estão desalojadas, um muro e uma marquise cederam no bairro Alzira Ramos. Também houve desabamento de parte de uma residência no bairro Presidente Médice. A família está desalojada, segundo a Defesa Civil estadual.

Na divisa entre os bairros Vasco da Gama, em Cariacica, e Nova América, em Vila Velha, um rio que atravessa a região transbordou e invadiu casas e estabelecimentos comerciais. Já em Porto de Santana, diversas ruas foram invadidas pela água.

A forte chuva também provocou vazamentos na cobertura do terminal de Campo de Grande, na quarta-feira. Um vídeo registrado por um passageiro mostra a água caindo em grande quantidade do teto do terminal. As pessoas precisaram se desviar da "cachoeira" que se formou. 

De acordo com a Ceturb, uma calha entupiu durante a chuva de quarta-feira e pegou os passageiros do local de surpresa. A companhia informou que o reparo seria realizado assim que a chuva parasse. Na manhã desta quinta, o problema não foi visto no local.

Viana

Em Viana, no bairro Marcílio de Noronha, moradores e comerciantes registraram o momento de uma forte chuva no local. Uma enxurrada se formou na avenida principal do bairro. 

A Defesa Civil do município informou que não há registros de ocorrências graves no município até o momento. Apenas pontos isolados de alagamento e solicitação de avaliação em residência, por conta de infiltrações.

Também em Viana, a pista lateral da BR-262, na entrada do bairro Marcílio de Noronha, ficou totalmente alagada. No local, há um viaduto e o acesso ao bairro deve ser realizado por meio de outras vias.

Castelo

O município de Castelo, no sul do estado, foi um dos mais afetados pela chuva. Na cidade, há registros de muitos alagamentos, tanto no centro quanto no interior, e alguns trechos de estradas e vias no perímetro urbano estão interditadas.

Imagens feitas por moradores da cidade mostram que o Rio Castelo transbordou e a água invadiu estabelecimentos e residências. De acordo com informações da prefeitura, o rio subiu cerca de seis metros, deixando alguns bairros totalmente alagados, como Niterói, Esplanada e o centro do município.

Moradores relataram que a água chegou a passar por cima de uma ponte localizada na região central da cidade. Na noite desta quinta-feira, o nível do rio havia baixado um pouco, mas ainda ameaçava invadir a ponte e algumas residências das imediações.

Muitas pessoas tiveram dificuldade de acessar alguns pontos de Castelo e, para isso, uma equipe do Corpo de Bombeiros precisou utilizar um bote para fazer a travessia dos moradores em meio aos alagamentos.

De acordo com a Defesa Civil estadual, foram registradas, no município, pequenas ocorrências de quedas de árvore e deslizamento de terra na Rodovia Pedro Cola (ES-166). Além disso, o Rio Castelo atingiu a cota de emergência e transbordou nos bairros Niterói, Centro e Esplanada.

A chuva que atinge Castelo e cidades vizinhas também causou a interdição de alguns trechos de estradas. Segundo o Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES), a ES-379, que liga Castelo a Muniz Freire, está totalmente bloqueada por causa da chuva. Também há interdições totais no trecho de Conceição do Castelo – Santo Antônio, da rodovia ES-165, e no km 10 da ES-181, entre o distrito de Piaçu e Muniz Freire. Outro trecho que apresenta interdição, dessa vez parcial, é entre os km 18 e 30 da ES-166, em Castelo. 

Muniz Freire

Em Muniz Freire, a Defesa Civil do município informou que foram registrados pontos de alagamentos no distrito de Menino Jesus. Equipes do órgão estiveram no local e ainda estão contabilizando se há registro de pessoas fora de casa. 

Além disso, a pista da rodovia ES-181 está interditada. Uma galeria se rompeu, deixando a via totalmente alagada. O Departamento de Edificações e Rodovias (DER-ES) foi acionado.

Também há registro de deslizamento de terra no distrito de Piaçu. A Defesa Civil disse que as pessoas que foram atingidas pelas chuvas de janeiro deste ano foram atingidas novamente.

Vargem Alta

Em Vargem Alta, foi registrada enchente nas localidades de Castelinho e Monte Verde. Segundo a Defesa Civil, a água atingiu uma creche do município e está a uma altura de dois palmos. 

Também foi registrada a queda de uma árvore na estrada entre o distrito de São José de Fruteiras e Capivara. Além disso, houve inundação de aproximadamente 20 casas nas comunidades de Vila Maria e Castelinho. 

Outros municípios

Em Colatina, no noroeste do estado, o muro de uma residência desmoronou, no bairro Perpétuo Socorro. Não houve vítimas, segundo a Defesa Civil.

Em Cachoeiro de Itapemirim, no sul do estado, uma árvore caiu e interditou uma rua no bairro Gilberto Machado. A via já foi liberada pelo Corpo de Bombeiros. Além disso, houve deslizamento de terra, que atingiu parte de uma residência no bairro Novo Parque.

Em Jerônimo Monteiro, também no sul, foi registrada falta de energia elétrica em todo município, na quarta-feira.

Ainda no sul do estado, em Alegre, uma casa com telhado ruim, na localidade de Rive, ficou alagada e uma enxurrada da rua entrou em uma residência.

Em Divino de São Lourenço, no Caparaó, deslizamento de terra sobre uma estrada causaram sua interdição no Córrego do Paiou. A Secretaria de Agricultura foi acionada para fazer a desobstrução. 

Já em Mimoso do Sul, houve a queda parcial da estrada que liga o município à comunidade Paraíso.

E no distrito de Pedra Azul, em Domingos Martins, região serrana do estado, o trevo que dá acesso à Rota do Lagarto ficou completamente alagado. Na mesma localidade, um campo de futebol ficou completamente alagado.

CONTATOS DA DEFESA CIVIL

DEFESA CIVIL ESTADUAL- 3194-3652

VITÓRIA- 98818-4432

VILA VELHA- 3388-4346 E 162

CARIACICA- 98831-6000 E 199

VIANA - 9 9860-4360

SERRA- 99938-9500

GUARAPARI- 98879-7971

CASTELO- (28) 99936- 4032