Professora guarda cartas de alunos para serem postadas e lidas no futuro em Cachoeiro

Geral

Professora guarda cartas de alunos para serem postadas e lidas no futuro em Cachoeiro

Ela postou 81 cartas que seus alunos escreveram em 2015. Cada estudante escreveu uma carta pessoal endereçada ao "eu do futuro"

Foto: Reproducao/ Arquivo Pessoal

Já pensou em como será sua vida daqui a cinco ou seis anos? E se você escrevesse uma carta para o seu "eu do futuro", o que você contaria ou como você imaginaria sua vida lá na frente?

Essa foi a proposta apresentada pela professora de Língua Portuguesa Patrícia Peres, há dez anos, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, quando ela desenvolveu o projeto "Cartas para o Futuro".

Na época, a professora pediu que os alunos escrevessem mensagens para que fossem lidas anos depois. Patrícia ficou responsável por guardar e enviar as cartas para os alunos quando a data prevista para a postagem chegasse.

No último dia 25 de novembro, a professora foi à agência dos Correios da Praça Jerônimo Monteiro, no Centro de Cachoeiro, e postou 81 cartas que seus alunos escreveram em 2015. Naquele ano, eles cursavam o 8º e 9º anos do Ensino Fundamental II, e tinham entre 13 e 15 anos.

O projeto foi desenvolvido na E.E.E.F.M. Professora Hosana Salles, localizada no bairro Aeroporto. 

Depois das aulas em que foram apresentadas as características e a estrutura textual do gênero carta pessoal, os alunos escreveram a carta endereçada para eles mesmos. Só agora, em 2021, as correspondências foram postadas para serem lidas novamente pelos estudantes.

"Todos fazem a carta e entregam. Tem toda uma preparação antes. A começar pelo endereço e como preencher uma carta. Peço para eles anotarem o endereço de suas casas certinho. Ensino como preencher um envelope porque muitos nem sabem como fazer isso", explicou a professora.

Nas cartas, o “eu atual” do remetente escreveu para o “eu do futuro” falando da importância de acreditar em seus sonhos e de não perder a esperança. Os alunos também arriscaram algumas previsões de como seria a vida deles nos dias atuais. As cartas foram recolhidas, guardadas e lacradas em uma caixa organizadora. 

"Os sonhos mudam também. Será que são os mesmos sonhos que tinham há cinco anos? Você tem uma meta, será que ela continua a mesma? Essa questão do autoconhecimento é muito importante", ressaltou.

A agência dos Correios abraçou o projeto e as cartas foram postadas como carta social, ou seja, sem ônus para a professora. Ela contou à reportagem do Jornal Online Folha Vitória que todos os alunos se envolveram na produção das cartas desde o início.

De acordo com ela, as próximas correspondências, que foram feitas este ano,  serão despachadas pelos Correios apenas em 2025, encontrando o destinatário, o "eu do futuro".