Servidores da saúde do Estado recuam sobre greve e esperam negociação

Geral

Servidores da saúde do Estado recuam sobre greve e esperam negociação

Os trabalhadores da Saúde do Espírito Santo se reuniram, nesta terça-feira (22), para uma assembleia geral em frente à Secretaria Estadual de Gestão e Recursos Humanos (Seger), em Vitória. A categoria discutiu sobre a progressão na carreira, insalubridade, tíquete-alimentação, imposto sindical, pendências do subsídio e indicativo de greve.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Federais Estaduais e Municipais da Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social no Espírito Santo (Sindsaudeprev), eles conversaram com um representante da Seger. Segundo eles, o governo não abre negociação com a categoria para tratar de questões como o subsídio salarial, insalubridade e outros direitos dos trabalhadores da Saúde. 

“No fim da greve em 2013, o governo disse que negociaria questões como o subsídio a partir de fevereiro de 2014. Disseram que não podem abrir negociação relacionada à salário, pois é ano eleitoral”, destacou a coordenadora do Sindsaudeprev, Margarida Nascimento.

Ainda segundo a coordenadora, a categoria está esperando a movimentação de outros sindicatos para fazer uma ação conjunta. Até o momento, nenhum serviço será paralisado.

A Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger) informou que recebeu as demandas de ajuste na carreira apresentada pela categoria e está analisando as reivindicações, mantendo o diálogo permanente com os representantes dos servidores.

Segundo eles, a carreira da saúde foi a primeira a ser contemplada com a implantação da Nova Política de Gestão de Pessoas, resultando em melhorias na remuneração da categoria. A Seger informou ainda que a insalubridade dos servidores foi paga no mês de janeiro, observando o direito a retroatividade.