Associação de moradores quer fim de eventos de grande porte na orla de Camburi

Geral

Associação de moradores quer fim de eventos de grande porte na orla de Camburi

O presidente disse que a associação está analisando todas as reclamações recebidas dos moradores. A entidade alega que não foi comunicada oficialmente sobre a realização do evento

Evento reuniu cerca de 50 mil pessoas na praia de Camburi, em Vitória Foto: Reprodução Facebook

Após a noite de confusão durante a festa de uma rádio, realizada na praia de Camburi, em Vitória, no último domingo (27), moradores da região estão pedindo o fim da realização de eventos de grande porte na região.

De acordo com o presidente da Associação de Moradores da Mata da Praia, bairro próximo à praia, Sandoval Rigonni, diversos emails de moradores relatam tentativas de invasão a condomínios e queixas de falta de segurança no local.

“A repercussão foi muito grande. A associação não para de receber email desde ontem (domingo) à noite. Houve tentativa de invasão, além de pessoas que fizeram suas necessidades nos jardins dos prédios”, frisou.

Sandoval também explicou associação não foi comunicada oficialmente sobre a realização do evento, e criticou a falta de segurança e organização. “A prefeitura, nem a segurança pública nos procurou. Poderíamos ter conversado sobre a melhor forma de organização deste evento, ou até sugerido outro local. Faltou bom senso. Foi coisa de amador. Fecharam estacionamentos, ruas. Moradores foram impedidos de entrar ou sair de casa”. 

O presidente disse ainda que a associação está analisando todas as reclamações recebidas, e que poderá pedir da realização de eventos de grande porte na praia de Camburi.

“Camburi não suporta mais este tipo de evento. O que a Mata da Praia quer é profissionalismo. Vamos decidir o que fazer, mas a orla não tem mais condições de receber esses eventos”, frisou.

Confusão

Durante o evento, do último domingo (27), uma mulher foi baleada, três pessoas foram esfaqueadas e uma foi pisoteada. Segundo a Polícia Militar, a confusão começou quando um tiro foi disparado da área vip para o público na areia, próximo ao palco. 

Testemunhas relataram que não havia policiamento ou seguranças no local. A Guarda Municipal confirmou que 20 mil pessoas eram esperadas para o evento, mas esse número chegou a 50 mil. 

Por volta das 20 horas, o evento foi cancelado. Segundo informações, duas bandas musicais não chegaram sequer a se apresentar. Para o secretário Municipal de Segurança Urbana de Vitória, Fronzio Calheira Mota, o evento recebeu um público acima do esperado. “Quando eu cheguei no local e vi aquela multidão, eu já fiquei preocupado, já presumi que uma quantidade tão grande de gente dobrou a expectativa dos organizadores e do poder público municipal e estadual. Eu fiquei muito preocupado, sabendo que qualquer conflito mais sério poderia chegar a uma situação como aquela que de fato aconteceu”, afirma.

Ainda segundo o secretário, a prefeitura de Vitória se organizou para um evento menor. Ele explica que o órgão vai analisar o que aconteceu. “Houve um planejamento para um público estimado em 20 mil pessoas, houve um planejamento para isso. O município se organizou, os organizadores do evento se organizaram e o público mais do que duplicou. O município não autorizaria, com certeza, um evento para o público que acabou acontecendo, esse que é o ponto. Isso vai ter que ser objeto de análise por parte da administração municipal”, explica.

Por sua vez, a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo disse que não divulga o número de efetivo da Polícia Militar empregado no evento, mas informa que a quantidade era suficiente para garantir a segurança de até 30 mil pessoas, conforme expectativa inicial da organização dos shows. Como o número de público foi muito maior, houve vários registros de confusões e brigas. Segundo a secretaria, o caso mais grave foi o de uma senhora de 60 anos baleada na perna e levada para um hospital da capital sem gravidade. Ainda segundo a Polícia Militar, não há confirmação de nenhum caso de esfaqueamento e nem de pisoteamento na orla de Camburi durante o evento.

Vídeo mostra início da confusão:

Imagens flagram desespero e correria:

Morador registra muitas pessoas correndo: