Alunos da Ufes promovem ato contra racismo após supostas declarações de professor

Geral

Alunos da Ufes promovem ato contra racismo após supostas declarações de professor

De acordo com relatos de alunos do curso de Ciências Sociais, o professor dirigiu-se aos universitários cotistas com declarações preconceituosas e racistas

Estudantes percorrerão departamentos da instituição Foto: Divulgação

As supostas declarações de cunho racista dadas por um professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) durante uma aula na última segunda-feira (3) levaram os estudantes da instituição a criar um evento contra o racismo.

Chamado de “Novembro Negro”, o ato pretende conscientizar as pessoas para a desconstrução do racismo dentro da universidade e dos demais espaços sociais.

“O evento foi criado em função desse ocorrido. Nós enquanto estudantes, tínhamos que tomar alguma atitude em relação a esse fato. A alternativa que vimos como forma de repudiar essas declarações foi criar o evento para poder refletir sobre”, disse Mirts Santos, estudante de Letras e integrante do Coletivo Negrada, criador do evento.

A concentração está marcada para acontecer às 8 horas da manhã da próxima quarta-feira (5). Os estudantes irão sair do prédio Ilha do Conhecimento (IC) 2 e percorrer por todos os departamentos de ensino da instituição. “Vamos passar principalmente no Departamento de Economia, onde ocorreu a questão. Ainda existe a possibilidade do evento sair da universidade e Omar as ruas”, destacou Mirts.

Ainda de acordo com Mirts, a questão é mais freqüente do que se imagina, mas nunca tinha tomado proporções tão grandes. “Acontece com muita frequência. Há casos de professores que dividem a turma em cotistas e não cotistas. Cotas é um direito. Ser cotista também. Só estamos garantindo um direito que é nosso, o acesso à educação superior. As cotas raciais são necessárias”, finalizou.

Investigação

De acordo com a assessoria da Ufes, a Ouvidoria recebeu, na manhã desta terça-feira (04), a denúncia encaminhada por estudantes contra o professor da instituição. Se as denúncias forem comprovadas será aberto um inquérito administrativo.