• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Falta de chuva faz município de Itapemirim decretar estado de emergência

Geral

Falta de chuva faz município de Itapemirim decretar estado de emergência

Mais um prefeito decreta situação de emergência devido a falta de chuva. Nesta quinta-feira (22), o prefeito de Itapemirim, no sul do Estado, Luciano de Paiva assinou o decreto

Seca atinge município de Itapemirim Foto: Divulgação

Mais um prefeito decreta situação de emergência devido a falta de chuva. Nesta quinta-feira (22), o prefeito de Itapemirim, no sul do Estado, Luciano de Paiva assinou o decreto após a seca atingir diretamente agricultores e pecuaristas da região.

Um relatório técnico foi emitido pelo Instituto de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), junto da Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Semader), da Cooperativa Agrícola dos Fornecedores de Cana e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Várias famílias estão sendo afetadas diretamente com a falta de chuva, lavouras e o gado leiteiro sofrem com a escassez. A produção de cana-de-açúcar, leite, abacaxi, café, mandioca, feijão são as mais afetadas.

“O município apresenta 50% de perda tanto na pecuária quanto na agricultura. Várias famílias estão sem água em casa para consumo. Algumas medidas já estão sendo tomadas. Nós estamos disponibilizando máquinas para abrir poços, mas com o decreto, outras providências podem ser tomadas com mais rapidez”, comenta o secretario municipal de agricultura, Luciano Henriques.

Residências estão sendo abastecidas com carros pipas, e produtores estão recebendo ração balanceada para alimentar o gado. Mais de 200 poços artesanais foram abertos para ajudar os agricultores.

Cachoeiro de Itapemirim

A prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim decretou situação de emergência no meio rural do município na última segunda-feira (19) devido ao longo período de estiagem. A falta de chuva na cidade tem contribuído para secar nascentes e córregos em comunidades do interior, causando prejuízos ao setor agropecuário. Em todo o Estado, o prejuízo chega a marca de R$ 1,4 bilhão.