Ainda sedado, atleta baleado em assalto no Transcol chora ao ouvir nome de familiares

Geral

Ainda sedado, atleta baleado em assalto no Transcol chora ao ouvir nome de familiares

Segundo familiares de Raphael Casagrande, os médicos estão diminuindo a sedação aos poucos. Rapaz levou um tiro dentro de um ônibus ao voltar para casa

Raphael segue internado em estado grave Foto: Reprodução Facebook

O estudante e jogador de futebol americano, Raphael Casagrande, de 20 anos, que foi baleado durante um assalto a um ônibus, no último dia 1º, em Cariacica, continua sedado na UTI do Hospital Meridional. No entanto, de acordo com a família, a sedação está diminuindo aos poucos e o rapaz já começa a responder a alguns estímulos.

De acordo com uma prima de Raphael, Thayná Casagrande, o atleta chegou a chorar, na manhã deste domingo (07), ao ouvir o nome de alguns familiares. "Estivemos no hospital hoje cedo e vimos que ele se mexeu um pouco. Abriu o olho, mexeu o pescoço e até chorou quando falamos da família com ele", disse.

Segundo Thayná, Raphael continua com febre, mas está sendo tratado com antibióticos e aparentemente não apresenta infecação. A prima disse que os médicos estão diminuindo a sedação aos poucos e, nesta segunda-feira, podem começar a retirar os aparelhos que ajudam o rapaz a respirar. Segundo o último boletim médico do Hospital Meridional, Raphael segue em estado grave, porém estável.

Na última quinta-feira, os médicos começaram a retirar a sedação do atleta. No entanto, ele teve que voltar a ser sedado após apresentar um sangramento no pulmão. Com isso, ele precisou ser submetido a uma nova cirurgia.

O crime

Raphael voltava para casa, na noite da última segunda-feira, após sair da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), onde cursa Educação Física. Já perto de casa, no bairro Bela Aurora, dois bandidos anunciaram um assalto em um ônibus da linha 740 (Terminal de Jardim América - Vista Mar). A vítima foi atingida com um tiro no peito, que perfurou um de seus pulmões.

Câmeras de videomonitoramento registraram a ação dos criminosos e podem ajudar a polícia a localizar os criminosos, que continuam foragidos. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Crimes Contra o Transporte de Passageiros e Cargas.