Com chegada de lama, municípios capixabas podem suspender abastecimento de água

Geral

Com chegada de lama, municípios capixabas podem suspender abastecimento de água

No momento em que a água com a lama chegar, as bombas serão paradas por um tempo, amostras serão recolhidas e analisadas. Se necessário, o abastecimento será cortado

Em Minas Gerais, os rejeitos de minério atingiram o Rio Doce na última sexta-feira (6) Foto: R7

Após a confirmação de que três municípios do Espírito Santo correm risco de serem atingidos por uma enchente de lama em decorrência do rompimento das duas barragens da Samarco, os municípios de Linhares, Colatina e Baixo Guandu informaram que o abastecimento de água pode ser interrompido. Isso só acontecerá quando os rejeitos de minério chegarem ao Estado.

Neste sábado (7) a prefeitura de Baixo Guandu informou que a lama passará pelo município. Com isso, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) do município está em contato direto com os órgãos responsáveis, e desde já, está monitorando para cuidar do abastecimento de água para a cidade, tanto no que diz respeito à quantidade, como a qualidade.

De acordo com a prefeitura, no momento que a água com a lama chegar, o SAAE vai parar as bombas por um tempo, vai colher amostras e analisar a água. Caso seja possível tratar, garantindo a qualidade, sem nenhum risco, o abastecimento voltará ao normal. Se não, será suspenso. 

Já a Prefeitura de Colatina informou que está monitorando junto ao Serviço Geológico do Brasil a onda de cheia que está se deslocando ao longo da calha do Rio Doce. Segundo as previsões, os dejetos devem chegar ao município na segunda-feira (09) e elevar o nível do rio em cerca de 1,5 metros. 

Ainda de acordo com a prefeitura, análises serão feitas constantemente até que a qualidade da água seja apta para o consumo humano. Por este motivo, a administração pede que a população economize água e mantenham seus reservatórios cheios. 

Segundo a Prefeitura de Linhares, não há qualquer risco de contaminação da água que é distribuída pelo SAAE, uma vez que o ponto de captação é feito no Rio Pequeno. Além disso, no dia 18 de outubro a prefeitura fez uma barragem no Rio Pequeno para manter o volume, e esta barragem servirá como uma barreira que evitará o contato da água do Rio Doce com o Rio Pequeno, garantindo uma segurança extra para o abastecimento do município.

A prefeitura ainda afirmou que quanto ao segundo ponto de captação de água, que está sendo construído pelo município no Rio Doce, só entrará em funcionamento após a certeza de que a água do rio não representar qualquer perigo para a saúde da população.

Barragem rompida

A barragem da Samarco Mineração, localizada no município mineiro de Mariana, se rompeu na tarde de quinta-feira (5). Com o rompimento, casas de um distrito a 23 km de Mariana ficaram inundadas e cobertas. A prefeitura pediu aos moradores que deixassem a localidade.

E na manhã de sexta-feira (6), moradores da cidade de Rio Doce, na Zona da Mata, foram surpreendidos pelo avanço dos rejeitos de minério de ferro. De acordo com a Defesa Civil do município, que fica a cerca de 100 km do local do ocorrido, os dejetos atingiram o Rio Doce, que banha Minas Gerais e Espírito Santo, por volta de 6h30.