Preocupada com 'onda de lama', Prefeitura de Baixo Guandu pede que população armazene água

Geral

Preocupada com 'onda de lama', Prefeitura de Baixo Guandu pede que população armazene água

SAAE informou que a captação de água das cidades que margeiam o Rio Doce ficará comprometida por conta do desastre. Aulas também serão suspensas

Onda de lama deve atingir três municípios do Espírito Santo, entre eles Baixo Guandu Foto: Divulgação

Com a previsão da suspensão do fornecimento de água em Baixo Guandu, no noroeste do Estado, por conta da chegada da "onda de lama" provocada pelo rompimento das barragens da mineradora Samarco em Mariana (MG), a prefeitura do município capixaba orienta a população a economizar água o máximo possível. A administração municipal também orienta que a população evite transitar ou permanecer nas margens do Rio Doce nos próximos dias.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Baixo Guandu informou que a captação de água das cidades que margeiam o Rio Doce ficará comprometida por conta da chegada da onda de lama pelo rio. A orientação é para que a população do município armazene água potável, pois há previsão de suspensão do abastecimento em até dois dias. O SAAE garaintiu que o serviço voltará ao normal o mais breve possível.

Segundo a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) do Serviço Geológico do Brasil, a onda de lama provocada pelo desastre em Mariana deve chegar a Baixo Guandu nesta segunda-feira (09) e a Colatina e Linhares na terça-feira (10). Em Baixo Guandu e Colatina, escolas da rede estadual de ensino terão a aula suspensa por causa da interrupção do fornecimento de água. A Prefeitura de Colatina informou que as aulas da rede municipal também estão suspensas.

O caso

Rompimentos das barragens provocou destruição no município mineiro de Mariana Foto: Agência Brasil

Uma barragem de rejeito da empresa de mineração Samarco se rompeu na tarde desta quinta-feira (05), entre os municípios de Mariana e Ouro Preto, a cerca de 110 quilômetros de Belo Horizonte. A barragem de rejeito é uma estrutura para armazenar resíduos da mineração.

Pelo menos 128 residências foram atingidas pela onda de lama e dejetos na cidade.

Na manhã da última sexta-feira (06), moradores da cidade de Rio Doce, na Zona da Mata, foram surpreendidos pelo avanço dos rejeitos de minério de ferro no leito do rio.

Ainda na sexta-feira, o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgou alerta para os municípios de Colatina, Linhares e Baixo Guandu, localizados às margens do Rio Doce no Espírito Santo.