Após dois anos de pedágio, concessionária inicia duplicação da BR-101 no Espírito Santo

Geral

Após dois anos de pedágio, concessionária inicia duplicação da BR-101 no Espírito Santo

Eco 101 começou, nesta segunda-feira, a tão esperada obra nos quase 476 quilômetros de rodovia no Estado. Previsão é de que o trabalho seja concluído em sete anos

Duplicação do trecho da rodovia que corta o Espírito Santo deveria ter começado no ano passado Foto: TV Vitória

Parece que finalmente as obras de duplicação da BR-101 no Espírito Santo não vão ficar só na promessa. Após três anos de concessão e dois de cobrança de pedágio, a Eco 101, concessionária responsável pela administração da rodovia em todo o trecho que corta o Estado, começou, nesta segunda-feira (18), a tão esperada obra nos quase 476 quilômetros de estrada, desde a divisa com o Rio de Janeiro, no sul, até a divisa com a Bahia, no norte.

Uma solenidade, às margens da rodovia em Ibiraçu, no norte do Estado, marcou o começo, já atrasado, dos trabalhos. Isso porque a Eco 101 havia dito que iniciaria as obras ainda no ano passado. 

Agora, a empresa vai ter que correr contra o tempo, já que se comprometeu a entregar 50% de toda a estrada recuperada e duplicada até o sexto ano de concessão. Esse prazo se encerra daqui a três anos, em 2019. Em menos de dois anos de cobrança de pedágio na rodovia, a Eco 101 arrecadou mais de R$ 310 milhões.

De acordo com a concessionária, o prazo final para a entrega da duplicação do trecho da BR-101, que atravessa 24 municípios capixabas e um baiano, é 2023. Segundo a Eco 101, até lá deverão ser investidos R$ 1,8 bilhão. "A BR-101 se tornará uma nova rodovia no Espírito Santo", afirma o diretor superintendente da empresa, Paulo Hanke.

A primeira etapa das obras ocorrerá em quatro frentes: em João Neiva, do km 205 ao km 208; Ibiraçu, do km 216 ao km 220; Anchieta, do km 362 ao km 369; e Itapemirim, do km 403 km 409, com investimentos na ordem de R$ 40 milhões. Além disso, está previsto o início das obras de implantação do novo contorno de Iconha. Ao final desta fase, estes trechos da rodovia passarão a contar com quatro faixas de rolamento, duas em cada sentido.

De acordo com a Eco 101, nessa primeira etapa, que vai até o ano que vem, serão duplicados 46 quilômetros de rodovia, envolvendo investimentos na ordem de R$ 386 milhões. Outros trechos de duplicação estão previstos para terem início até o final deste ano, seguindo o cronograma da concessionária.

Nova pista, viadutos e pontes 

Obras de duplicação da BR-101 no Espírito Santo começaram nesta segunda-feira Foto: Divulgação/Eco 101

Cada faixa implantada terá 3,6 metros de largura, além de espaço de segurança com 0,8 cm e acostamento de 2,5 metros. Nos quatro trechos, as pistas serão divididas por canteiro central de 4,5 metros de largura ou barreiras rígidas. Toda a sinalização será refeita. Paralelamente à implantação da nova pista, a concessionária também construirá novas pontes e viadutos.

No município de João Neiva, haverá um novo viaduto no entroncamento com a comunidade de Caboclo Bernardo, no km 206. Também será construída uma ponte sobre o rio Itaperorama, no km 367, em Itapemirim. "Estas passagens são necessárias para proporcionar mais segurança e fluidez para quem trafega na rodovia e para quem precisa acessar os municípios", ressalta Luis Salvador, gerente de engenharia da Eco101.

Ainda de acordo com a Eco 101, a pista já existente também passará por adequações aos parâmetros das normas atuais, uma vez que seu traçado é da década de 1950.

Durante a execução da duplicação e das demais reformas, será realizada uma adequação ao tráfego local nos quatro pontos da rodovia que estarão em obras. Posteriormente, o fluxo de veículos será transferido para a nova pista.

"Como o processo envolve a implantação de uma nova pista paralela e a adequação da atual, os impactos das obras ao tráfego serão menores. Mas trabalharemos para que causem o menor transtorno possível", afirma Salvador.

Pontos moeda