• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

"Inovação nunca foi tão importante como está sendo atualmente", diz especialista em cultura de inovação

  • COMPARTILHE
Geral

"Inovação nunca foi tão importante como está sendo atualmente", diz especialista em cultura de inovação

André Taveira

Foto: Divulgação

Você já ouviu falar em branding e design thinking? De acordo com o designer, especialista em branding e empreendedor André Taveira, ambos são conceitos que dispõem de ferramentas para gerar inovação dentro e fora das organizações e são cada vez mais fundamentais para o sucesso de qualquer negócio.

Uma cultura de inovação adequada a cada empresa consiste em gerenciar vários fatores, tal como competências, aspectos comportamentais, ambientes, processos, recursos e estratégias. Como em todo desafio complexo, o segredo consiste em segmentar e priorizar a abordagem.

Nunca se falou tanto sobre a importância da inovação nas empresas e de se promover uma cultura da inovação para propiciar um processo criativo e sustentável de geração de produtos e soluções. Se a necessidade de inovar nas nossas empresas já é assumida como premissa compreendida, onde então encomendamos este “produto” cultura da inovação para “instalar” em nossas organizações?

 

Para falar mais sobre a cultura de inovação nas empresas, o Folha Vitória conversou o especialista em branding e empreendedor André Taveira. Veja a entrevista abaixo:
 

Folha Vitória: Como podemos definir o branding?
André Taveira: Branding é gestão estratégica de marcas, que é você entender por dentro o que é uma empresa, a sua cultura as pessoas que estão lá, o seu mercado, o seu modelo de negócios, e entender de onde você consegue extrair valor para essa marca a ponto de conseguir criar uma conexão com os seus consumidores, parceiros e todos os públicos da empresa para fortalecer o conceito central ou valores. Branding faz esse grande mergulho dentro das empresas para conseguir extrair o DNA dela e o que ela tem de melhor e fazer uma transposição para o lado de fora e também para os colaboradores.

FV: Qual a importância de implantar dentro de uma empresa a cultura de inovação? 
A.T.: Inovação hoje nunca foi tão importante como está sendo. Em um cenário volátil, com tanta mudança no mundo, as empresas possuem duas opções: ou inovam ou ficam para trás. Não é possível não inovar mais. As startups estão ensinando isso para as empresas tradicionais. Estas empresas que têm uma cultura de aversão ao risco, muito hierarquizadas, com estruturas grandes, estão vendo startups formada por jovens empreendedores virar um negócio bilionário a partir da cultura de inovação. 

FV: Qual dica você daria para essas empresas tradicionais?
A.T.:  É preciso que as empresas olhem para o que as startups estão fazendo e entendam que precisam trazem o modelo de startup para perto, de preferência para dentro mesmo dos processos e entendam como funciona a cultura de inovação. A cultura de inovação tem que vir de dentro, com uma diretriz estratégica, não apenas uma placa com os valores da empresa. É preciso enxergar oportunidade de melhoria em cada processo.

FV: Como dar o 'start' da cultura de inovação em uma empresa? A criação de um núcleo é o primeiro passo?
A.T.: Houve um tempo em que inovação era um setor da empresa, geralmente nascia da pesquisa de desenvolvimento ou da tecnologia da informação. Mas inovação para virar cultura precisar ser maior, estar mais fragmentada dentro da empresa. Hoje é comum as pessoas começarem a inovar olhando para fora, por exemplo, trazendo startups para dentro dos processos. A inovação tem caminhado para olhar para fora e trazer para dentro novos resultados de uma maneira muito mais colaborativa, baseado no que vivemos hoje de sociedade em rede. 

FV: Qual o conceito de design thinking?
A.T.: Design thinking é uma maneira de inovar. Na verdade, é um modelo mental que coloca as pessoas como o centro disso. Então, se inovar é gerar valor para uma outra pessoa, o design, que é uma abordagem humana. Ele procura entender quem é essa pessoa, criar processos de co-criação, para trazer pessoas juntas para criar novas soluções para um determinado contexto, que pode ser um novo produto, um novo serviço ou um novo modelo de negócio, e fazem experimentações antes de o produto ir para o mercado. Isso é importante porque às vezes surgem ideias internamente, mas na hora de ir para o mercado, a ideia não está madura e isso representa perda financeira para a empresa. E é importante evitar que o produto saia para o mercado com erros, você erra antes, enquanto você pode. Faz testes, valida e quando tiver um produto maduro, disponibiliza pro mercado.