Selita: competitividade pela qualidade e investimentos em estrutura

Há oito anos consecutivos, a Selita está em primeiro lugar na pesquisa Marcas Ícones, demonstrando que a cooperativa tem uma grande responsabilidade junto aos seus consumidores. Isso, para seu presidente, Leonardo Monteiro, a incentiva a buscar sempre a excelência na produção de alimentos, visando a permanecer na mente e no coração dos consumidores capixabas.

“As pessoas se lembram da Selita pela qualidade dos nossos produtos, que há 83 anos são ofertados aos capixabas. Isso gera confiança e, associado a diversas ações mercadológicas, faz com que os consumidores capixabas, na hora das pesquisas, coloquem sempre a cooperativa em primeiro lugar”, afirma o presidente.

 

O que a Selita faz para ser constante na memória do consumidor?

LM: É um trabalho contínuo junto aos consumidores por meio de diversas ações de marketing, apoiada na qualidade de nossos produtos. O capixaba sabe que, ao comprar produtos Selita, está levando para a mesa da sua família alimentos saudáveis, saborosos e confiáveis.

 

Ao longo destes 10 anos de Marcas Ícones, muita coisa mudou. Quais foram os desafios da última década e como eles foram superados?

As mudanças nestes últimos 10 anos vêm acontecendo de uma forma muito rápida, e nós estamos sempre atentos às demandas do mercado, com suas particularidades, por meio de pesquisas que nos informam como está o comportando dos consumidores, seus desejos e necessidades. A par disso, a comunicação tem lidado com grandes impactos das profundas modificações, principalmente pelas redes sociais, alterando a nossa relação com os consumidores. Todas essas mudanças são analisadas pela empresa, definimos as ações e os protocolos que precisamos inserir na nossa gestão da marca e dos produtos. Atualmente, o planejamento tem que ser revisto quase que diariamente.

 

O que é ser uma marca memorável para a Selita? Que atributos uma marca precisa ter para se tornar ícone?

Para ser uma marca ícone e memorável junto aos consumidores é preciso, antes de tudo, respeitar esse consumidor. Ter na concepção da marca que ela, a cada dia, se adequa nesse mundo cheio de transformações e novos conceitos, que sua participação e posicionamento no mercado vão depender de como nós interagimos com os consumidores, entendendo seus desejos e necessidades. Precisamos rever conceitos e nos preparar para o futuro, adotando práticas como a do ESG (sigla em inglês), que é ter uma agenda ambiental, social e governança na missão da empresa. Hoje, os consumidores, na hora de decidir a sua compra, passam a dar preferência às empresas que, além de atenderem as suas necessidades, incluem nos seus valores um ativo muito importante, que é atender as convicções de qualidade de vida.

 

Qual o papel da comunicação e do marketing para a construção de uma marca memorável?

É fundamental que o marketing e a comunicação entendam esse novo momento, a pandemia nos obrigou a fazer uma repaginação na comunicação, adotando estratégias específicas para cada tipo de mídia, sabendo que o consumidor está ainda mais informado e em tempo real. Por isso, precisamos estar atento a essas mudanças. Inovar sempre, com os pés no presente e o olhar no futuro.

 

Comente um pouco sobre como foi o período de pandemia para a empresa, que efeitos isso teve no negócio e de que forma foi possível pensar em novas estratégias para se manter e até mesmo se fortalecer no mercado.

A pandemia afetou a todos, ainda que de diferentes formas. O contexto hoje mudou, mas ainda há percepção de que existe oportunidade na crise. É preciso unir as pessoas, ser muito claro e transparente e fazê-las participarem ainda mais das soluções. Na Selita, foram e continuam sendo tomados todos os cuidados e protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde. Isso tem sido feito desde o início da pandemia e ainda continuamos com os cuidados, visando a proporcionar segurança nos nossos processos e permitindo o menor impacto possível no desempenho da empresa. Continuamos com os cuidados redobrados em nossas operações, desde a coleta do leite no campo, passando pela produção dos produtos, até chegar nos diversos pontos de vendas no estado. Esses objetivos sendo implantados fortalecem a marca junto aos nossos consumidores.

 

 

Como a Selita está hoje? Qual o panorama geral da empresa?

Atualmente, a Selita está fazendo um investimento que vai mudar a história da cooperativa. Estamos construindo o novo parque industrial no quilômetro 413 da BR-101, região da Safra, em Cachoeiro de Itapemirim. Uma indústria moderna, com equipamentos de última geração, sustentável em todos os processos, com redução de custos e aumento significativo na sua produtividade. A captação de leite está sendo preparada para receber até 850 mil litros por dia. Serão elaborados novos produtos e aprimorada ainda mais a qualidade dos atuais. O nosso grande desafio é entregar ainda este ano o empreendimento que vai tornar a Selita ainda mais competitiva no mercado de lácteos. Uma nova história vai começar.

A cooperativa, atualmente, possui cerca de 80 itens de produtos comercializados no Espírito Santo, Rio de Janeiro e sul da Bahia. São cerca de 1.850 associados, sendo a maioria pequenos produtores, distribuídos em 51 municípios e com 95% deles no Espírito Santo. Na cooperativa, cerca de 420 colaboradores atuam diretamente e 10 mil através dos cooperados e seus agregados.

 

Quais são as expectativas para o segundo semestre de 2021 e 2022? O que vem pela frente?

As expectativas são boas, mas sempre com cautela, sem perder o foco no mercado e suas nuances. Com o novo parque industrial, vamos poder aumentar nosso mix de produtos, qualificando ainda mais os existentes, e isso nos faz, a cada dia, ter a responsabilidade de produzir alimentos em que estejam embutidos qualidade, confiança e sabor, para que os capixabas possam ter na sua lembrança e no seu coração a marca Selita.

Patrocínio