Preso acusado de ser o autor dos disparos contra clientes de boate em Cariacica

Polícia

Preso acusado de ser o autor dos disparos contra clientes de boate em Cariacica

Segundo a polícia Flávio Cardoso Xavier teria atirado contra Breno de Jesus Siqueira e Diego Alves após eles se envolverem em uma confusão na boate Twister, em maio do ano passado

Flávio Xavier foi preso no bairro Jockey de Itaparica, em Vila Velha Foto: Divulgação/PC

A polícia prendeu, em Vila Velha, o homem apontado pela polícia como o autor dos disparos que mataram um adolescente de 16 anos e deixaram ferido um rapaz de 19, que teriam provocado uma confusão em uma boate de Jardim América, Cariacica, no dia 3 de maio do ano passado.

Flávio Cardoso Xavier foi detido na casa dele, no bairro Jockey de Itaparica. De acordo com o titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Cariacica, delegado João Paulo Pinto, o suspeito se preparava para fugir. O carro estava cheio de roupas e ele admitiu que tentaria a fuga. Com Flávio foi encontrada uma pistola ponto 40.

Na última terça-feira (20), a polícia prendeu outro acusado de envolvimento com o crime: o dono da boate, André Brandão Borchardt, de 34 anos, suspeito de ser o mandante. O terceiro suspeito de envolvimento no caso, o segurança Wallas Damascena Valadares, já estava preso desde dezembro do ano passado. De acordo com a policia, foi ele quem levou Flávio de carro para cometer o crime. 

Wallas, a princípio, foi preso por ser apontado como o autor do crime. No entanto, segundo João Paulo Pinto, o segurança disse, em depoimento, que uma terceira pessoa teria sido a executora do homicídio.

O crime

Após se envolveram em uma briga, Breno de Jesus Siqueira, de 16 anos, e Diego Alves, de 19, foram expulsos da boate Twister, em Cariacica, pelo segurança da casa, Wallas Damascena. Segundo a polícia, eles foram para casa e pegaram uma moto e uma arma. Quando chegaram na frente da casa de shows, deram tiros para o alto.

Na fuga, o veículo onde os dois jovens estavam quebrou. A polícia contou que foi nesse momento que André Brandão e o segurança do local decidiram persegui-los.

De acordo com João Paulo Pinto, as vítimas empurraram a motocicleta até um posto de combustíveis. O local fica a poucos metros da boate. Um carro passou e um dos ocupantes atirou várias vezes contras as vítimas.

Breno morreu na hora. Já Diego também foi baleado, mas sobreviveu. Segundo a polícia, o carro de onde saiu os disparos pertence a André.