• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Morro do Moscoso: noite de terror completa uma semana e responsáveis continuam foragidos

Polícia

Morro do Moscoso: noite de terror completa uma semana e responsáveis continuam foragidos

Quatro homens ainda estão sendo procurados pela polícia. A suspeita é que dois deles ainda estejam dentro do Morro do Moscoso.

Foto: TV Vitória

A invasão, seguida de tiroteio, nos morros da Piedade e do Moscoso completa uma semana nesta segunda-feira (21) e os seis suspeitos identificados pela Polícia Civil permanecem foragidos. Relembre o caso: 

Segunda-feira (14)

Homens armados invadiram os morros da Piedade e do Moscoso, em Vitória. Três pessoas morreram e duas ficaram feridas. As três pessoas que morreram estavam na pracinha do Morro do Moscoso quando o tiroteio começou. Um homem foi baleado no rosto e uma adolescente de 15 anos foi atingida por dois disparos. 

Os baleados foram socorridos e passam bem. Os atiradores conseguiram fugir. Uma moradora do Morro do Moscoso teve a casa invadida após o tiroteio. Os dois homens entraram pelo quintal da residência no início da noite e obrigaram a mulher a abrir a porta de casa. O pai da vítima estava na sala, em frente ao computador, e ambos foram feitos de reféns pelos criminosos.

Os suspeitos fugiram pela porta da frente, abandonando duas mochilas com entorpecentes. Após a fuga, a moradora registrou o rastro de sangue deixado por um deles. A suspeita é que eles tenham vindo da mata que rodeia os morros de Vitória. 

Terça-feira (15)

O chefe do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), José Lopes, revela que os investigadores trabalham com a hipótese de crime encomendado.

"Trata-se de um crime de execução e nenhuma motivação é descartada. A Polícia Civil vai de maneira incansável investigar o fato e prender todos os envolvidos nesse crime", conta o delegado.

Quarta-feira (16)

Foram identificados pela polícia dois suspeitos de liderarem o ataque em uma praça no Morro do Moscoso, em Vitória, ocorrido na noite da última segunda-feira (14).

Foto: Divulgação/DHPP
Alan Rosário de Oliveira, de 30 anos, e Rafael Batista Lemos, de 24 anos, conhecido como "Boladão", também são investigados pela morte de um outro jovem em junho de 2018

Segundo os policiais, além do envolvimento com o tiroteio, os dois suspeitos também possuem mandado de prisão em aberto pelo assassinato dos irmãos Ruan e Damião, ocorrido em março do ano passado no Morro da Piedade.

Eles também são apontados como suspeitos da morte do jovem Walace de Jesus Santava, de 26 anos, em junho de 2018. De acordo com o delegado titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Janderson Lube, a motivação do ataque desta semana seria uma disputa entre gangues rivais por pontos de tráfico de drogas na região.

"Foi um ataque a um rival comandado pelo Alan. Eles agiram em aproximadamente 10 pessoas. Foram ao local que o Alan conhece. Como não encontraram o rival, atacaram quem estava no local", conta o delegado.

Quinta-feira (17)

A polícia identificou outros quatro suspeitos de ter envolvimento nas mortes de três jovens, durante um intenso ataque no Morro do Moscoso, em Vitória. 

Foto: Reprodução/TV Vitória
Rudney Jacinto, o "Nego"; Janderson Barbosa Alves, conhecido como "Mala Veia"; Fernando de Morais Pimenta, conhecido como "Marujo" e Emerson de Jesus Dias 

Rudney Jacinto, o "Nego"; Janderson Barbosa Alves, conhecido como "Mala Veia"; Fernando de Morais Pimenta, conhecido como "Marujo"; e Emerson de Jesus Dias são apontados pela polícia como os responsáveis pelas mortes. A investigação ainda está averiguando se os suspeitos participaram diretamente do crime ou se estavam no comando das ações.

"Eles são traficantes, homicidas com mandado de prisão e fazem parte de uma organização criminosa. A investigação está correndo e estamos trabalhando muito em parceria com a Polícia Militar e com as denúncias da população", afirma o delegado-chefe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), José Lopes

Os quatro homens ainda estão sendo procurados pela polícia. A suspeita é que dois deles ainda estejam dentro do Morro do Moscoso. Denúncias anônimas podem ser feitas através do 181.