PM que agrediu frentista em posto de combustível será investigado pela Corregedoria

Polícia

PM que agrediu frentista em posto de combustível será investigado pela Corregedoria

O coronel Juffo ainda ressalta que, durante as investigações, o policial será afastado das ruas e somente irá realizar serviços administrativos

Foto: Reprodução TV Vitória

O policial militar acusado de agredir um frentista em um posto de combustíveis em Vila Velha, na última quinta-feira (23), será investigado pela Corregedoria da Polícia Militar. A informação foi confirmada pelo Coronel Juffo, responsável pelo setor.

O coronel ainda ressalta que, durante as investigações, o policial será afastado das ruas e somente irá realizar serviços administrativos. No momento, o policial militar foi identificado, mas ainda não foi ouvido, e as investigações devem durar 30 dias ou serem prorrogadas por mais 30.  

O frentista Joelcio Rodrigues dos Santos, agredido pelo policial militar, está revoltado e pede justiça. Ele relata que foi agredido um dia após discutir com o policial. "Ele parou para abastecer e pedi para ele e uma mulher que estava na garupa descerem da moto, já que é norma do posto. Ele ficou alterado e dizendo que não desceria".

No dia seguinte, o PM retornou fardado ao posto e agrediu o frentista. A agressão foi registrada por câmeras de segurança. Nas imagens, é possível perceber uma discussão entre os dois e o momento em que o frentista recebe um tapa no rosto. Outros dois funcionários tentam conter a briga e, neste momento, o PM sacou uma arma e apontou em direção ao frentista. Logo depois ele saiu do local. 

Joelcio é frentista há dois anos e pai de quatro filhos. Ele revela que nunca imaginou passar por isso. Após as agressões, ele compareceu à delegacia para registrar o boletim de ocorrência.