Quadrilha suspeita de furtar casa de policiais é presa na Serra

Polícia

Quadrilha suspeita de furtar casa de policiais é presa na Serra

O invasor da residência foi preso quando tentava vender parte das joias roubadas

Foto: Reprodução/TV Vitória

Suspeitos de furtarem a residência de um casal de policiais foram presos, nesta quinta-feira (21), na Serra. Parte da quadrilha é da mesma família. Um dos suspeitos acabou preso quando tentava vender o material roubado. 

A casa de um capitão e de uma sargenta da Polícia Militar, que fica no bairro Bicanga, foi invadida na última terça-feira (19). Os suspeitos roubaram um HD, uma pistola ponto 40, carregadores, munição, cerca de R$ 2 mil em dinheiro e joias.

O local tem câmeras de segurança, o que ajudou a equipe da Delegacia Patrimonial, que investiga o caso, a identificar o invasor. O suspeito é Jorge Maykon de Souza, de 28 anos, que já era conhecido da polícia por outros crimes. 

Nesta quinta-feira (21), os investigadores estiveram no Centro da Serra para apurar informações de que as joias furtadas estariam a venda em uma joalheria. Ao conversar com um funcionário do local, a polícia descobriu que as peças tinham sido compradas de Jorge. 

No momento em que os policiais estavam conversando com o funcionário, o suspeito apareceu no estabelecimento. Ele pretendia vender outra parte das joias. 

Ao conversar com o suspeito, a polícia descobriu que parte do material poderia estar com um primo do rapaz. Ao ir até a residência do familiar de Jorge, os policiais encontraram a arma, os carregadores e as munições furtadas escondidas no forno do fogão. 

O suspeito teria dado indícios de que outros objetos furtados poderiam estar na casa vizinha. No local, a polícia encontrou mais peças das joias. Duas pessoas estavam na casa. 

De acordo com a polícia, o crime envolveu a família do suspeito. Além de Jorge e o primo, a jovem, de 21 anos, e o irmão dela, de 18, que estavam na residência onde as joias foram encontradas, também foram presos. 

Na viatura, a caminho da delegacia, Jorge e o primo começaram a brigar. Eles tiveram ferimentos leves e não precisaram ser encaminhados para um hospital. O proprietário da joalheria e o funcionário também foram presos. O material apreendido foi reconhecido pelo casal. O caso segue em investigação. 

*Com informações da repórter Nathalia Munhão, da TV Vitória/Record TV.