Avó de vítima de abuso sexual em Cariacica pode responder pelo crime, diz delegado

Polícia

Avó de vítima de abuso sexual em Cariacica pode responder pelo crime, diz delegado

Ela teria flagrado o suspeito abusando sexualmente do neto, mas não teria tomado nenhuma providência. A polícia só foi acionada por vizinhos durante briga

O homem foi preso na última segunda-feira Foto: TV Vitória

A avó do adolescente de 13 anos, vítima de abuso sexual em Cariacica, também pode responder pelo crime. Foi o que informou o titular da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), Lorenzo Pazolini. O acusado pelo crime, um auxiliar administrativo de 49 anos, era companheiro da avó do garoto. Segundo o delegado, ela chegou a presenciar um dos abusos, mas não teria tomado nenhuma providência.

A criança era abusada desde os sete anos pelo mesmo homem. A violência só foi descoberta pela polícia após a suspeita de um familiar. “Essa parente tomou conhecimento desses abusos e nos procurou trazendo a vítima até a delegacia”, contou o delegado.

Segundo Pazolini, em uma das ocasiões, a avó estava em casa assistindo televisão quando desconfiou que algo estava acontecendo. Ela seguiu até os fundos da casa, onde há um quarto, e lá ela flagrou o abuso. “A avó da criança tomou conhecimento, presenciou o abuso e não tomou nenhuma providência. Isso certamente acarretará sanções penais e deve responder pelo mesmo crime”, informou.

O delegado explicou ainda que ao presenciar o abuso, a senhora, de 61 anos, ficou muito nervosa e chegou a agredir o marido. A confusão e gritaria chamaram a atenção da vizinhança, e um parente da criança acionou a polícia. “Ele [o suspeito] confessou que mantinha relações sexuais com a criança há muito tempo, e disse que estaria tomado por uma entidade espiritual. Nós respeitamos o interrogatório, mas sabemos que essa versão não procede”, alegou Pazolini.

Para a polícia o menino contou que os abusos aconteciam sempre que a avó ia à igreja e ao supermercado. “O acusado disse ao menino que se ele contasse para alguém, ele trancaria todos em um cômodo e colocaria fogo na casa”, afirmou o delegado.

Para a imprensa, o suspeito negou todas as acusações.