Preso homem apontado como chefe do tráfico de drogas no morro de São Benedito

Polícia

Preso homem apontado como chefe do tráfico de drogas no morro de São Benedito

De acordo com a polícia, pelo menos cinco assassinatos cometidos pelo suspeito, na capital capixaba, aconteceram antes mesmo que ele completasse 18 anos

Vaninho foi preso na manhã desta quarta-feira na casa dele, em São Benedito Foto: TV Vitória

A polícia prendeu, nesta quarta-feira (03), o homem apontado como chefe do tráfico de drogas dos morros São Benedito e Alto Itararé, que fazem parte do Complexo da Penha, em Vitória. Segundo as investigações, Geovani de Andrade Bento, o "Vaninho", de 20 anos, responde por cinco homicídios, somente em Vitória, e também é investigado por outros crimes.

De acordo com a polícia, os assassinatos cometidos pelo suspeito na capital aconteceram antes mesmo que ele completasse 18 anos. Segundo o titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Vitória, delegado Paulo Expedicto Amaral, Vaninho também é suspeito de participar de uma tripla tentativa de homicídio e um assassinato, no interior de Aracruz, norte do Estado, em dezembro do ano passado.

"Mesmo antes de completar 18 anos e mesmo antes de praticar homicídios, ele já era conhecido no meio policial. Ele já havia sido preso por fato análogo ao tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e por tentativa de homicídio contra policiais militares. Durante todo o ano de 2012 foram registrados pelo menos cinco homicídios nos quais ele é investigado. Três deles já foram concluídos por nós", destacou Paulo Expedicto.

O rapaz foi detido na manhã desta quarta-feira, na casa onde morava com mulher e filha, em São Benedito. "O Geovani era o principal traficante hoje em atuação em São Benedito e adjacências. Ele foi preso hoje em uma operação deflagrada às 7 horas, pela Delegacia de Crimes Contra a Vida de Vitória. Com a prisão dele, a gente espera que testemunhas que ainda não compareceram aqui, por medo dele e da facção, compareçam para que nós possamos esclarecer mais dois desses homicídios em que ele é suspeito", ressaltou o delegado.

A DCCV de Vitória investiga o paradeiro de Geovani há cerca de três anos, desde que ele fugiu de uma unidade de internação socioeducativa. Segundo a polícia, o suspeito é irmão de João de Andrade, o "Joãozinho da Doze", apontado como ex-chefe do tráfico de drogas do Morro São Benedito e que está preso desde 2011.

No celular de Vaninho os policiais constataram trocas de mensagens do suspeito com pessoas que pareciam dar cobertura a ele. Em um dos textos, o rapaz teria pedido para os comparsas observarem a presença de policiais na região, chamados por eles de "Botas". Vaninho também conversa com eles sobre a entrega de mercadorias.

De acordo com o titular da DCCV de Vitória, o acusado não havia retornado para o presídio, após receber o benefício da saída temporária. Além disso, mudava de endereço constantemente, para dificultar sua localização.

"Pelo fato dele já ter, em seu desfavor, três mandados de busca e apreensão por fato análogo a homicídio e, durante uma das saidinhas, não ter retornado ao presídio, ele vivia literalmente na marginalidade. Ele trocava de casa a cada 20 ou 30 dias. Estava sempre mudando de endereço para dificultar o trabalho da polícia", frisou Paulo Expedicto.

Segundo Paulo Expedicto, Geovani confessou um dos homicídios, ocorrido em 2011. No entanto, para a equipe de reportagem da TV Vitória/Record, o suspeito negou todas as acusações. "Quem tem boca fala o que quer. Quero ver provar. Se falarem que eu sou o presidente do mundo, eu sou também. A imaginação é de vocês, vocês falam o que vocês quiserem", ironizou.

Além de já possuir mandados de prisão em aberto, Vaninho foi autuado por tráfico de drogas e interceptação de um notebook roubado, que foi encontrado na casa dele.