• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Números da crise na segurança: 60 assassinatos são registrados no Espírito Santo

Polícia

Números da crise na segurança: 60 assassinatos são registrados no Espírito Santo

Dados extraoficiais dão conta de que da noite de segunda e madrugada de terça foram 15 assassinatos no Espírito Santo

A onda de assaltos e crimes começou desde a última sexta-feira (4) Foto: TV Vitória

De acordo com dados extraoficiais, já são 66 assassinatos em três dias no Espírito Santo com a paralisação da Polícia Militar. Entre a noite de segunda-feira (06) e madrugada de terça (07), foram 15 mortes.Durante reunião com o ministro da Defesa Raul Jungmann, na noite de segunda-feira, o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, André Garcia, confirmou que em 24 horas (de domingo até segunda), o Espírito Santo havia registrado 37 homicídios.

Em entrevista ao Jornal Fala Manhã, da TV Vitória/Record, André Garcia, disse que esse "é um dado triste de um movimento irresponsável. O aumento exponencial no número de mortes ocorre devidos aos confrontos. Por isso, estamos trabalhando incessantemente para retomar a normalidade. Vamos ainda tomar as medidas legais para punir quem está por trás disso, que provocou toda essa tragédia na vida dos capixabas".

A esperança do Governo do Estado é de que a sensação de segurança e o número de crimes diminuam com a presença de 1 mil homens das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) e 200 da Força Nacional, principalmente em Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica. A previsão do Ministério da Defesa é de que os militares fiquem no Estado até o próximo dia 16 de fevereiro. 

Protesto. Há quatro dias, familiares de policiais militares realizam protestos em frente aos batalhões da Polícia Militar (PM) do Espírito Santo. Desde então, os manifestantes bloqueiam a saída de viaturas e de policiais das unidades com cartazes exibindo pedidos de reajuste salarial, pagamento de auxílio alimentação, periculosidade, insalubridade, adicional noturno e a valorização dos policiais.