Motorista tem corpo queimado após criminosos incendiarem ônibus na Serra

Polícia

Motorista tem corpo queimado após criminosos incendiarem ônibus na Serra

Dois homens invadiram o coletivo, jogaram combustível, atearam fogo e fugiram, mas foram presos pela polícia momentos depois

Foto: Reprodução

Um motorista de ônibus no bairro Jacaraípe, na Serra, teve a perna queimada após criminosos atearem fogo no coletivo. Segundo ele, dois homens entraram no coletivo, lançaram um líquido combustível, atearam fogo e fugiram.  Militares que faziam patrulhamento na região viram o ônibus em chamas. 

O próprio motorista e alguns populares controlaram o fogo com um extintor de incêndio. Por causa das chamas, ele acabou tendo a perna queimada e foi conduzido por policiais para a UPA de Castelândia.

Foto: Reprodução

O motorista conseguiu passar as características do veículo que estava sendo conduzido pelos criminosos para os militares. Ao realizar um patrulhamento na orla de Jacaraípe, os pms visualizaram um veículo com as características passadas pelo motorista. Foi feito um cerco e os policiais fizeram a abordagem dos suspeitos. 

Dentro do carro, estavam dois ocupantes, um homem de 35 anos e um adolescente de 17. Com eles foi encontrado uma pedra de crack e R$ 550 em espécie. Os militares enviaram imagens dos detidos para à guarnição que socorreu e levou o motorista até a UPA. O motorista reconheceu os criminosos e disse que eram os mesmos autores que colocaram fogo no coletivo. Além da abordagem, os policiais foram até a casa de um dos detidos e dentro de um baú de madeira foram encontrados mais materiais ilícitos: oito pedaços grandes de maconha e mais sete buchas da droga, uma balança de precisão e munição calibre 380. 

A Polícia Civil informou que o suspeito de 35 anos, conduzido para a Delegacia Regional de Serra, foi autuado em flagrante por dano ao patrimônio público com emprego de substância inflamável, corrupção de menores e posse de drogas para consumo próprio. Ele foi encaminhado ao Centro de Triagem de Viana (CTV). O adolescente de 17 anos assinou um boletim de ocorrência circunstanciado (BOC) por ato infracional análogo ao crime de tráfico de drogas, dano ao patrimônio público com emprego de substância inflamável e foi reintegrado à família.