Preso em Marataízes acusado de integrar quadrilha envolvida na morte de soldado da PM

Polícia

Preso em Marataízes acusado de integrar quadrilha envolvida na morte de soldado da PM

De acordo com a polícia, Alef de Oliveira não estava presente no dia do crime, mas era comparsa dos bandidos que assassinaram Eduardo Junior na semana passada

Alef foi preso no bairro Santa Tereza, em Marataízes Foto: Divulgação/PC

A polícia prendeu nesta terça-feira (17) mais um acusado de integrar a quadrilha dos bandidos que assassinaram o soldado da PM, Eduardo Junior, na semana passada, em Marataízes, litoral sul do Estado. Alef de Oliveira, de 20 anos, foi preso por policiais civis da delegacia do município no bairro Santa Tereza.

De acordo com a polícia, Alef não estava presente no dia do crime, mas faz parte da quadrilha envolvida na morte do policial. Segundo o delegado Edson Lopes, responsável pela investigação, o suspeito confessou que participou de dois assaltos no sul do Estado.

A polícia trabalha com a linha de latrocínio - roubo seguido de morte - como motivação do assassinato de Eduardo Júnior, mas ainda não descarta completamente a hipótese de crime passional. A Polícia Civil também descartou a participação do traficante Maicão no crime. Ele havia sido detido na última sexta-feira (13).

O crime

O policial foi assassinado na noite do último dia 10 Foto: Reprodução Facebook

Eduardo foi sequestrado na noite do último dia 10, quando estava dentro do carro - um Corolla prata - e foi abordado por quatro homens armados. Os bandidos estavam em um táxi. 

O taxista disse que teria sido sequestrado e obrigado a levar os assaltantes até o carro onde estava o policial. Ele contou que foi liberado e teria acionado a polícia. 

O carro em que Eduardo estava foi encontrado queimado em Vargem Alta. Já o corpo do soldado foi encontrado em um canavial na localidade de Brejo Grande do Sul, em Itapemirim. Quatro acusados de envolvimento na morte do PM estão detidas, entre elas o taxista que disse que foi sequestrado.