• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Espírito Santo bate recorde de feminicídios no início de 2019

Especial Mulher

Polícia

Espírito Santo bate recorde de feminicídios no início de 2019

Estado registrou seis feminicídios em janeiro de 2019, frente a quatro feminicídios em 2018. É o maior número desde 2016, quando o crime foi tipificado

Foto: Infogram

Janeiro de 2019 já é considerado o pior janeiro dos últimos três anos para as mulheres capixabas. Isso porque o Espírito Santo registrou o mais alto índice de feminicídios para um janeiro desde 2016, quando este tipo de crime passou a ser contabilizado no estado. 

>> Em redes sociais, publicitária denuncia assédio e agressão durante Carnaval em Vitória

Segundo dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), seis mulheres foram vítimas de feminicídio, quando são mortas apenas por serem mulheres, em janeiro de 2019. Os dados de fevereiro ainda não foram fechados pela Secretaria.

Tanto em 2018 como em 2017 foram quatro feminicídios durante janeiro, enquanto em 2016 não foram registrados casos desta natureza no período. 

"Sociedade está alerta e mulheres estão denunciando mais"

Para Catarina Gazele, professora de Direito Processual Penal da Ufes, houve uma mudança na sociedade, que deixou de considerar a violência doméstica como brigas de marido e mulher, que devem ser resolvidas em quatro paredes.

"Hoje a sociedade está mais alerta. No passado, mulheres morriam enforcadas e os registros apontavam para suicídio. Elas eram agredidas e, no hospital, diziam que tinham caído de uma escada ou tropeçado na rua. As pessoas aprenderam a identificar e tem mais ciência dos canais de denúncia", conta Gazele, que é integrante da Comissão de políticas de prevenção de assédio sexual e violência de gênero na Universidade.

A professora analisa que houve uma mudança positiva na rede de proteção às mulheres, que envolve o serviço de Saúde, a Polícia Militar, Polícia Civil, Defensoria Pública, Ministério Público do Espírito Santo e Poder Judiciário.

"Os profissionais estão mais capacitados para receberem e orientar essas vítimas. Claro que há exceções, delegados que convencem as vítimas a não registrar boletim de ocorrência, conversar com os maridos e tentar uma conciliação. Por isso, é necessário ter uma capacitação constante do poder público para dar suporte a elas", afirma.

Um terço das mulheres assassinadas foi vítima de feminicídio

Somente em 2018, das 93 mulheres assassinadas no Espírito Santo, 33 foram vítimas de feminicídio, ou seja, mais de um terço das mulheres mortas no último ano morreram apenas por serem mulheres.

Entre as motivações mais comuns estão crises de ciúme dos companheiros das vítimas e a inconformidade com o fim do relacionamento. A maior parte dos casos, cerca de 44% das mortes, foram cometidas na Grande Vitória. Em seguida, vem a região Norte do estado, com 27% dos feminicídios; com as regiões Sul e Noroeste logo atrás, com 13% dos casos. A região Serrana, com 3% das mortes, completa a lista.

Número de mulheres assassinadas por ano no ES

Foto: Infogram

Mais de mil presos em flagrante por violência contra a mulher em 2018

O número de presos por violência doméstica contra mulheres mais do que dobrou em 2018. Foram 1.109 homens presos em flagrante, além de 240 mandados de prisão cumpridos.

Já em 2017, foram 435 presos. Também cresceu o número de medidas protetivas, quando o homem é impedido de se aproximar da mulher. Foram 6.785 em 2018 e 5.583 em 2017, um aumento de 21%.

Outro número que impressiona é o de boletins de ocorrência. foram 14.991 em 2018 e 14.395 em 2017.

Número de ocorrências nas Delegacias da Mulher

Foto: Infogram