Ex-jogador de futebol é acusado de matar e esquartejar a irmã para ficar com herança

Polícia

Ex-jogador de futebol é acusado de matar e esquartejar a irmã para ficar com herança

Luis Antônio teve a prisão temporária decretada pela Plantão Judiciário na última terça-feira

Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Rio de Janeiro, acusou o ex-jogador de futebol Luis Antônio de Medeiros Senna, de 45 anos, de ter assassinado a facadas a própria irmã, a designer gráfica Samura Sento Sé Braz, de 34 anos. O crime aconteceu na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O motivo, seria uma disputa de herança deixada pela mãe dos irmãos. 

"O ex-jogador, teria golpeado por 30 vezes a irmã e, logo depois, teria esquartejado a vítima, com a intenção de desaparecer com o corpo", aponta o relatório da investigação da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA).

De acordo com informações de um jornal, Luis Antônio teve a prisão temporária decretada pela Plantão Judiciário na última terça-feira (26). A delegada que investiga o caso, Elen Souto, titular da DDPA, pediu a prisão do ex-jogador após descobrir que Luis Antônio fez um empréstimo de R$ 11 mil para fugir do Rio de janeiro. O acusado, agora, é considerado foragido.

Depoimento
O ex-jogador foi ouvido na sede da especializada. O que chamou a atenção dos investigadores da DDPA foram seis cortes na sua mão esquerda que, segundo ele mesmo, foram feitos no mesmo dia do desaparecimento de sua irmã. Luis deu, em depoimento, duas versões diferentes para os cortes na mão: disse inicialmente que havia se machucado durante uma pelada que havia jogado na favela de Manguinhos; depois, afirmou que foi a um jogo do Flamengo no Maracanã e se envolveu numa briga de torcida. Luis foi submetido a exame de corpo de delito. Segundo o relatório da investigação, as lesões que sofreu não são compatíveis com os fatos descritos pelo ex-jogador.