No dia da mulher, Jane Cherubim manda recado: 'não confiem totalmente em seus companheiros'

Especial Mulher

Polícia

No dia da mulher, Jane Cherubim manda recado: 'não confiem totalmente em seus companheiros'

De acordo com a vítima, o namorado e principal suspeito do crime, Jonas do Amaral Neto, já teria começado a ameaçá-la quando ela entrou no carro dele, na saída da choperia em que ambos trabalham

Raissa Bravim

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

A vendedora Jane Cherubin, espancada, violentada e torturada, na última segunda-feira (4) em Dores do Rio Preto, mandou uma mensagem para as mulheres a alertou para que elas "não confiem totalmente em seus companheiros".

O recado foi passado por Salvador Cherobim, irmão de Jane. Ele disse que ela está acordada, consciente e deu detalhes sobre a agressão. 

Na manhã desta sexta-feira (8), Salvador Cherubim disse que Jane permanece internada em um hospital de Carangola, em Minas Gerais, onde está desde o dia da agressão. De acordo com o boletim médico, ela apresentou melhora de 80%, desde que deu entrada no hospital. Aos familiares, Jane contou detalhes sobre o crime. 

Ameaças

De acordo com a vítima, o namorado e principal suspeito do crime, Jonas do Amaral Neto, já teria começado a ameaçá-la quando ela entrou no carro dele, na saída da choperia em que ambos trabalham. Durante o trajeto, Jane diz que o suspeito falava a todo momento sobre uma foto, que ela teria se recusado a tirar com ele. Segundo a vítima, ele ficava repetindo que "hoje você vai tirar a foto comigo".

Jane relata ainda que ele ameaçava jogar o carro de uma ribanceira. A vítima disse que as agressões começaram ainda no carro e que ela pedia encarecidamente para que ele parasse. De acordo com Salvador, Jane acredita que desmaiou durante as agressões. Quando foi encontrada por familiares no meio do asfalto, ela estava desacordada e semi-nua.

Ciúmes

Salvador disse que não sabia da situação, mas no hospital, Jane disse que já teve confrontos com Jonas por causa de ciúmes. Jane relata que eles já haviam conversado sobre isso e ela teria dado um prazo de dois meses para que ele mudasse o comportamento, caso contrário, o relacionamento acabaria. De acordo com Salvador, essa conversa aconteceu há menos de dois meses.

Após as agressões, o telefone celular de Jane não foi encontrado. A família acredita que Jonas tenha roubado o celular, pois várias mensagens foram enviadas por ele pelo telefone da vítima.

'O que fizeram comigo'?

Salvador relata que Jane chorou muito quando viu o rosto no espelho pela primeira vez após o crime e perguntou "o que fizeram comigo"? 

O irmão da vítima disse que também chorou e ficou muito emocionado quando viu a irmã pela primeira vez no hospital. "Quando eu vi ela, confesso que eu chorei. Eu demorei uns dois dias pra ir lá, porque estava resolvendo questões das investigações policiais. Mesmo sabendo que ela estava melhorando, chorei quando vi o rosto dela".

Medo

Consciente, Jane diz que tem muito medo que Jonas apareça no hospital. "Toda segurança é bem vinda. A gente não pode arriscar nada. Ela é uma testemunha chave, por ser a vítima. Ela pode contar todos os detalhes", disse Salvador.

Por fim, Jane deu um recado, na manhã desta sexta-feira (8), em que é comemorado o Dia internacional da Mulher. Segundo o irmão, ela aconselhou que as mulheres "não confiem totalmente em seus companheiros". De acordo com Salvador, Jane disse isso porque sempre foi muito bem tratada pelo suspeito e não desconfiava de uma possível agressão.

De acordo com a Polícia Civil, Jonas do Amaral Neto continua foragido. Contra ele há um mandado de prisão por tentativa de feminicídio. O suspeito está sendo procurado pelas polícias do Espírito Santo e de Minas Gerais.