PM teria agredido esposa por ter se atrasado para prova de concurso da Policia Civil

Polícia

PM teria agredido esposa por ter se atrasado para prova de concurso da Policia Civil

A vítima solicitou medida protetiva, proibindo o soldado de se aproximar dela, ficando à 800 metros de distância e sem contatos por telefone

Foto: TV Vitória

O policial militar preso após agredir e ameaçar a esposa, no bairro Arlindo Vilaschi, em Viana, no último domingo (24), teria atacado a vítima porque ele teria perdido o horário para realizar a prova do concurso da Polícia Civil. Ivo Soares de Souza, de 25 anos, foi detido em flagrante. 

Segundo o relato da vítima de 31 anos, o casal começou a discutir porque Ivo tinha que fazer a prova do concurso, mas os dois acordaram tarde e ele se atrasou. O homem agrediu a esposa com socos e pontapés e quando a mãe da vítima tentou intervir, o policial sacou a arma e ameaçou a sogra. 

O agressor conseguiu colocar a vítima dentro do carro e seguiu para o bairro vizinho. Neste momento, a sogra acionou a polícia que conseguiu detê-lo no meio do caminho. 

De acordo com os policiais que atenderam o caso, a vítima se encontrava muito assustada no momento da abordagem e afirmou que o marido tinha bebido. O agressor foi autuado, após se apresentar como policial e se negar a fazer o teste do bafômetro.

Em depoimento, já na Delegacia da Mulher, em Vitória, o soldado alegou que o real motivo da briga teria sido a descoberta de um filho da mulher. Ivo foi autuado por lesão corporal, injuria e constrangimento ilegal dentro da Lei Maria da Penha, além de ameaça a sogra. O caso passou por uma audiência de custódia que converteu a prisão em flagrante para a prisão preventiva.

Após a situação de violência, a vítima solicitou medida protetiva, proibindo o soldado de se aproximar mais de 800 metros dela e de ter contatos por telefone. A mulher ainda afirmou que a mãe ficou muito assustada e se mudou da Grande Vitória.