Funcionários dizem que cachorro que matou suspeito de assalto na Serra tem fama de agressivo

Polícia

Funcionários dizem que cachorro que matou suspeito de assalto na Serra tem fama de agressivo

O cachorro que matou um homem suspeito de assalto na madrugada desta sexta-feira (25) em Jacaraípe, na Serra, tem a fama de ser bastante violento.

O dono da loja de material de construção, Gerdal Alves, conta que encontrou o cachorro abandonado, o adotou e lhe deu o nome de Mascote. ”Uma família o abandonou, as pessoas que eram suas donas. Ele ficou no portão, o encontrei com fome, dei comida e cuido dele. Ele era novo na época”, disse.

O animal passa o dia trancado e costuma ser solto para dar uma volta pelo terreno. Para o motorista da loja, Alvimar da Silva, o problema é quando os funcionários trancam o portão. “Se soltar e fechar o portão, ele já muda. Para entrar no quintal, tem que pegar a corrente. Quando fecha o portão, ele quer marcar território, ainda mais que tem uma fêmea junto. Ele se acha”, conta.

A vira-lata que também vive no quintal é chamada de Magrela e foi adotada pela corretora de imóveis Elza de Souza. Ela diz que não espera que a cachorra tenha uma reação diferente da tomada pelo cão do vizinho. “Se alguém entrasse, com certeza ela faria a mesma coisa”, afirma.

Advogado diz que dono de cachorro não tem culpa

De acordo com o advogado e professor de Direito Criminal, Leonardo Loiola, o dono do cachorro não pode ser processado, pois cria o animal para proteger o patrimônio. “O cachorro, nesse caso, equivale a uma cerca elétrica, ao caco de vidro em cima de um muro alto. Ou seja, é um objeto ou, no caso, um animal, usado para a proteção do patrimônio. Desde que o muro seja minimamente alto e o cachorro não seja acessível para quem está do lado de fora, não há problema para o dono do imóvel. Somente se houver provas de que ele treinou o cachorro para matar uma pessoa, o que eu acho muito improvável, ou se o imóvel tiver um muro de meio metro de altura, bastante acessível”, explica.