Preso por roubo de celular é reconhecido como autor de estupros a adolescentes na Serra

Polícia

Preso por roubo de celular é reconhecido como autor de estupros a adolescentes na Serra

Mário Sérgio Oliveira já estava no presídio de Viana desde 14 de março. Ele foi reconhecido pelas vítimas, confessou o crime e responderá também pela violência contra as menores

O acusado de estuprar as duas adolescentes na Serra foi apresentado nesta quarta-feira na DPCA, em Vitória Foto: TV Vitória

Já está preso o acusado de estuprar duas adolescentes de 17 anos em um terreno baldio em Laranjeiras, na Serra. Mário Sérgio Oliveira Cardoso, de 24 anos, já estava detido no presídio de Viana desde o dia 14 de março, por ter praticado um roubo no mesmo bairro. Ele foi reconhecido pelas vítimas, confessou o crime e agora responderá também pela violência contra as menores.

Para tentar localizar o criminoso, a polícia confrontou dados de ocorrências de roubo nos últimos meses, na região do Parque da Cidade, em Laranjeiras. Dois suspeitos foram identificados. Ao apresentar as fotos deles às vitimas, as duas não tiveram dúvidas: Mário Sérgio era o estuprador.

"Analisamos câmeras de segurança de empresas próximas à Norte-Sul e de ônibus que circularam no local. Mas sobretudo fizemos uma análise quantitativa e qualitativa dos boletins de ocorrência registrados pela população nos últimos seis meses na região da Avenida Central. Os investigadores passaram a se debruçar sobre aqueles boletins de ocorrência, extraindo o nome de autores de eventuais delitos de roubos ou furtos na região e confrontando esses autores com o retrato-falado produzido a partir da descrição das vítimas", frisou o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), delegado Lorenzo Pazolini, em entrevista ao Balanço Geral, da TV Vitória/Record.

O que também chamou a atenção da polícia foi o fato de Mário Sérgio ter sido preso em abril do ano passado, por roubo, e solto dois dias depois. Em junho, ele foi preso novamente, pelo mesmo crime. Ele ficou detido por seis meses até ganhar a liberdade novamente, cometer o estupro contra as meninas e ser preso mais uma vez, no dia 14 de março deste ano.

De acordo com Lorenzo Pazolini, o acusado foi reconhecido pelas vítimas após a polícia levantar o nome de suspeitos de assaltos cometidos em Laranjeiras nos últimos meses Foto: TV Vitória

"O autor do delito saiu recentemente da cadeia. Ele contou que, no dia do crime, fazia uso de substância entorpecente, no caso o crack, na região do Paredão. Ele saiu de lá, foi até a Norte-Sul e ficou aguardando as vítimas aparecerem para abordá-las e as renderam".

O delegado disse ainda que o acusado pretendia assaltar a primeira pessoa que passasse no local. "Ele alegou que, como estava fazendo o uso rotineiro do crack, quem aparecesse na frente ele renderia. O objetivo inicial dele era o roubo de aparelho celular, como de fato aconteceu. Ele roubou os aparelhos celulares das vítimas, mas posteriormente resolveu estuprá-las", disse Pazolini.

Ainda segundo o titular da DPCA, o acusado cometeu o crime sozinho, mas dizia estar acompanhado para intimidar as vítimas. Além disso, ele teria simulado estar armado. 

"Ele praticou o crime sozinho e não estava armado, mas simulou estar, colocando um volume na cintura. Ele utilizou muitas técnicas e foi intimidando as vitimas seguidamente, razão pela qual elas se viram forçadas a consumarem o delito", destacou o delegado. 

O crime

No dia 2 de março, duas adolescentes de 17 anos, que saíam da escola, foram levadas para um matagal, em frente ao Parque da Cidade, em Laranjeiras. O que parecia ser um assalto acabou virando momentos de terror, quando uma delas foi estuprada e a outra obrigada a fazer sexo oral com o criminoso. A ação durou cerca de 20 minutos. Depois do ato, foi feito um retrato-falado do suspeito, o que ajudou nas investigações.