Força Tática de Cachoeiro conclui curso de nivelamento e deve começar a atuar nos próximos dias

Polícia

Força Tática de Cachoeiro conclui curso de nivelamento e deve começar a atuar nos próximos dias

Os policiais passarão por um estágio preparatório e, em seguida, serão escolhidos os que vão integrar o novo grupo de elite da Polícia Militar no município

O curso de nivelamento foi o primeiro passo para a criação do novo grupo de elite da Polícia Militar no Estado, a Força Tática Foto: ​Divulgação/PM

Com o fim do Grupo de Apoio Operacional (GAO) no Estado, um novo grupo de elite foi criado pelo Comando Geral da PM, a Força Tática, e o 9º Batalhão em Cachoeiro terá o grupo, que passou pelo curso de nivelamento nesta semana. Ao todo, 21 policiais, fizeram o curso ministrado pelo tenente José Maria Casagrande Júnior durante quatro dias.

Agora, os novos alunos passarão por um estágio obrigatório, que selecionará aqueles que integrarão o grupo. É uma avaliação importante em ocorrências reais, que definirão a capacidade individual de trabalhar sob pressão e em equipe, sem deixar que os medos ou inércia coloquem a vida do policial e a de todos do grupo em risco. 

O curso de nivelamento constitui instruções envolvendo: patrulhamento em áreas de alto risco, doutrina de patrulhamento tático motorizado, ocorrências de crise com reféns localizados, controle de distúrbios civis, tiro policial e abordagens policiais diversas. Aos novos integrantes foram ministradas ainda instruções suplementares de ocorrências com explosivos, patrulha em áreas rurais, condução de viaturas, entre outros conteúdos necessários, totalizando mais sete dias de curso.

O curso é voltado para o aperfeiçoamento técnico e tático do efetivo, visando proporcionar ao policial militar integrante da Força Tática um ambiente de aprendizado e evolução profissional. “Essa fase do processo de constituição das Forças Táticas no organograma da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo é muito importante, além da capacitação dos recursos humanos destinados a atuar em ocorrências que transcendem a capacidade operacional cotidiana”, comenta o tenente. 

Casagrande ressalta ainda o preparo da equipe. “Uma equipe de patrulhamento tático motorizado deve estar muito bem preparada e condicionada a atuar em situações em que uma pequena margem de erro pode comprometer toda uma operação policial. Deve também estar capacitada para operar com equipamentos e armamentos distintos dos normalmente empregados pelo policiamento regular. Dessa forma, tais experiências são apenas o ponto inicial de uma cultura organizacional de seriedade e continuidade na preparação técnica de nosso efetivo. Preparação esta que é regular em sua essência, com treinamentos cotidianos de técnicas e atividades físicas”, completa.