Criminosos roubam carro de aplicativo, abandonam criança em posto e abusam de passageira

Polícia

Criminosos roubam carro de aplicativo, abandonam criança em posto e abusam de passageira

A mulher e o motorista de aplicativo reconheceram o preso como autor dos crimes de roubo e estupro. Segundo a Polícia Civil, o segundo suspeito está sendo procurado

Foto: Reprodução - Record/Rio

A Polícia Militar prendeu na última segunda-feira (1º) um homem suspeito de roubar um carro de aplicativo e estuprar uma passageira, em Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro. Outro suspeito que participou do assalto continua foragido.

Os dois homens roubaram o veículo de um motorista de aplicativo e, em seguida, aceitaram uma corrida. As vítimas, mãe e filha, entraram no carro sem notar que o motorista não era o mesmo que o serviço mostrava no celular.

O suspeito que conduzia o veículo rendeu as vítimas, abandonou a criança em um posto de gasolina e obrigou que a mãe tivesse relações sexuais com ele. A mulher pediu socorro para uma viatura da Polícia Militar que passava pelo local e fugiu do carro.

Segundo o delegado Luis Mauricio Armond, é comum entre os passageiros dos carros de aplicativo olhar apenas a placa e não conferir se o motorista é o mesmo que aparece na foto do serviço.

"É interessante que as pessoas identifiquem o motorista, confirmem os dados naquele momento [do embarque] e mantenham um contato com algum familiar ou amigo que está pegando tal veículo para que se ocorrer [algum perigo] minimize as consequências."

Segundo a Polícia Militar, o suspeito atirou contra os agentes e fugiu do local de carro. Após perseguição, o homem foi preso em flagrante por PMs do 40º BPM (Campo Grande).

A vítima foi levada para o Hospital Municipal Rocha Faria, também em Campo Grande, e depois foi encaminhada para à 35ª DP (Campo Grande) para prestar depoimento.

A mulher e o motorista de aplicativo reconheceram o preso como autor dos crimes de roubo e estupro. Segundo a Polícia Civil, o segundo suspeito está sendo procurado.

Com informações do Portal R7.