Exame de DNA confirma que corpo encontrado em Dores do Rio Preto é de Jonas do Amaral

Polícia

Exame de DNA confirma que corpo encontrado em Dores do Rio Preto é de Jonas do Amaral

Corpo foi encontrado em avançado estado de decomposição na localidade de Forquilha do Rio, no dia 23 de março

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução
Corpo de Jonas foi encontrado próximo a um cafezal na localidade de Forquilha do Rio

A Polícia Civil confirmou que o corpo encontrado na localidade de Forquilha do Rio, em Dores do Rio Preto, na região do Caparaó, no dia 23 de março, é do vendedor Jonas do Amaral. Ele é acusado de espancar e torturar a namorada Jane Cherubim, no dia 4 de março. A identificação do corpo se deu por meio do exame de DNA, cujo resultado foi divulgado no final da tarde desta sexta-feira (05).

De acordo com o titular da Delegacia de Polícia de Dores do Rio Preto, delegado José Maria Martins Simão, o resultado do exame saiu antes do prazo previsto, que era de 30 dias. O material genético dos familiares de Jonas foram coletados no último dia 26.

Na última terça-feira (02), a Polícia Civil divulgou o resultado do laudo cadavérico, que apontou como causa da morte asfixia mecânica por constrição do pescoço. O exame apontou que não foi evidenciado no corpo qualquer sinal ou vestígio de ação violenta. Por causa disso, o caso está sendo tratado pela polícia como suicídio.

Encontro do corpo

O corpo de Jonas do Amaral foi encontrado próximo a um cafezal e encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim. De acordo com a Polícia Civil, o cadáver já se encontrava em estado avançado de decomposição.

Na ocasião, familiares de Jonas foram até o local e reconheceram o corpo como sendo do vendedor. Eles alegaram que as roupas encontradas junto ao cadáver eram as mesmas que Jonas usava no dia em que agrediu Jane Cherubim e desapareceu.

O caso

Jane Cherubim da Silva, de 36 anos, e o namorado, Jonas do Amaral, de 34, trabalhavam no bar de um familiar de Jane, em Dores do Rio Preto, na madrugada do dia 4 de março. Na hora de irem embora, os dois teriam tido uma discussão. 

Segundo a família da vítima, Jane foi torturada e espancada por Jonas e largada às margens de uma rodovia, na altura de Forquilha do Rio. A vítima foi localizada por dois irmãos dela, que a encontraram desacordada e seminua. Eles contaram que, quando encontraram a irmã, pensaram que ela estava morta. 

Jane foi socorrida e levada para a Casa de Caridade de Carangola, em Minas Gerais, onde permaneceu por cerca de seis dias. Ela deixou o hospital no dia 10, acompanhada de familiares.

Após o crime, a família de Jonas afirmou que não tinha notícias sobre o paradeiro do vendedor. A Justiça chegou a expedir um mandado de prisão contra o suspeito por tentativa de feminicídio. Desde então, ele vinha sendo procurado pelas polícias civis do Espírito Santo e de Minas Gerais.