Exclusivo: Polícia conclui que vidraceiro foi morto por segurança do Hucam; veja o vídeo

Polícia

Exclusivo: Polícia conclui que vidraceiro foi morto por segurança do Hucam; veja o vídeo

Segundo as investigações da Polícia Civil, os seguranças fizeram uso excessivo da força

Foto: Reprodução/TV Vitória

A Polícia Civil concluiu o inquérito da morte do vidraceiro Emerson Reis, de 43 anos, que aconteceu dentro do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam), em Vitória, na madrugada de 12 de outubro de 2018.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, Emerson foi morto por um dos seguranças do hospital, após uma discussão que teve início quando ele chegou ao local. A perícia feita no corpo de Emerson apontou que a causa da morte foi por asfixia mecânica. 

No dia da morte, Emerson estava bebendo em um bar antes de ir para o hospital. De acordo com amigos do vidraceiro, ele relatou fortes dores de cabeça, decorrentes de uma aneurisma. Segundo o relato das testemunhas, ele teria ido ao Hucam procurar atendimento médico.

As imagens de câmeras de segurança do hospital registraram o momento em que Emerson chega. Ele está sem camisa e parece discutir com os seguranças. Durante a discussão, ele corre e é seguido pelos seguranças. De acordo com a Polícia Civil, Emerson foi morto neste momento. Em seguida é possível perceber uma grande movimentação de funcionários nas imagens.

Na ocasião do crime, seguranças e outros funcionários do hospital afirmaram que o homem chegou bêbado ao local e, após tentar roubar a arma de um segurança e quebrar objetos, ele teria caído de um lugar alto. Entretanto, de acordo com a Polícia Civil, não restam dúvidas de que Emerson foi assassinado por um dos seguranças. Segundo as investigações, os seguranças fizeram uso excessivo da força.

Um dos seguranças do hospital, que não teve a identidade revelada, foi apontado pela Polícia Civil como autor da ação violenta que culminou na morte de Emerson e foi indiciado por homicídio. O inquérito da Polícia Civil foi enviado ao Ministério Público do Espírito Santo (MPES), que devolveu o mesmo e solicitou novas diligências. A polícia informou que a incidência de homicídio culposo está sendo averiguada.

Por meio de nota, o Hucam informou que colabora com as investigações policiais desde o dia do incidente. "Diante dos fatos apresentados, o Hucam tomará de imediato todas as medidas cabíveis em contrato com a empresa terceirizada, inclusive o afastamento de todos os seguranças envolvidos na investigação", diz a nota.